Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/331010
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Estudo das proteínas ID1, ID2, ID3 e ID4 no carcinoma diferenciado de tireoide
Title Alternative: Study of the proteins ID1, ID2, ID3 and ID4 in differentiated thyroid cancer
Author: Amaral, Laís Helena Pereira, 1989-
Advisor: Ward, Laura Sterian, 1956-
Abstract: Resumo: Nódulos tireoidianos malignos e benignos são cada vez mais frequentes tornando o câncer de tireoide a neoplasia endócrina mais frequente encontrada na população. Assim, existe a premente necessidade de se procurar por novos marcadores moleculares de diagnóstico e prognóstico. As proteínas Inibidoras da ligação do DNA (ID) pertencentes à família dos fatores de transcrição helix-loop-helix e tem um papel fundamental no desenvolvimento, progressão, proliferação e migração tumoral e celular, além de agirem tanto como oncogenes quanto como supressores tumorais em diversos tipos de carcinomas. Também estão envolvidas no controle do ciclo celular e regulação de vias de transcrição como PI3K/AKt e NF-?B, já relacionadas com o desenvolvimento do Câncer Diferenciado de Tireoide (CDT). O objetivo deste estudo é verificar a expressão das proteínas ID1, ID2, ID3 e ID4 e sua utilidade como possíveis marcadores moleculares capazes de diagnosticar, caracterizar e definir o prognóstico do Carcinoma Diferenciado da Tireoide (CDT). Para tanto foram coletadas 194 amostras de tecido nodular, sendo 68 bócios nodulares, 16 adenomas foliculares, 75 carcinomas papilíferos da variante clássica (CPTVC), 18 carcinomas papilíferos da variante folicular (CPTVF), 5 carcinomas foliculares, 1 carcinoma anaplásico e 11 tecidos normais. Eram 36 homens e 142 mulheres, com uma média de 45,2 ± 14,9 anos de idade. Os 99 portadores de neoplasias malignas foram submetidos a um mesmo protocolo de tratamento e foram seguidos por 12 a 87 meses. A análise de expressão gênica foi realizada por qPCR e a imunoistoquímica foi realizada com utilização de anticorpos ABCAM. Os dados obtidos foram relacionados com dados clínicos e de evolução dos pacientes. Demonstramos que a expressão das IDs foi capaz de diferenciar nódulos benignos de malignos e se associou com ausência de características de agressividade tumoral. Encontramos maior expressão proteica nuclear de ID3 em células benignas do que malignas (5,2 ± 0,9 vs 3,0 ± 1,8 UA, Mann- Whitney, p<0,0001). Ao contrário, A expressão citoplasmática desta proteína foi maior em células malignas do que benignas (5,7 ± 1,5 vs 4,0 ± 1,4 UA, Mann-Whitney, p<0,0001). Não conseguimos correlacionar as proteínas estudadas com a evolução ou com o prognostico dos pacientes. Sugerimos que a expressão das IDs, principalmente da ID3, pode ajudar no diagnóstico e na caracterização de agressividade de lesões malignas da tireoide

Abstract: Thyroid nodules malignant and benign have become increasingly frequent making Thyroid Cancer the most frequent endocrine neoplasia found in the population. Therefore there is a necessity for searching new molecular markers for prognosis and diagnosis. The Inhibitory of the DNA binding proteins (ID) belonging to the helix-loop- helix transcription factors family have demonstrating to play a key role in the development, progression, proliferation and tumor cell migration, as such as act both as oncogenes and tumor supressor in several types of carcinomas. They are also involved in cell cicle controll and regulation of transcription pathways such as PI3K/Akt and NF- ?B , already related with the development of Differentiated Thyroid Cancer (DTC). For this reason the aim of this study is to verify the expression of ID1, ID2, ID3 and ID4 proteins and potention utility as molecular markers able to diagnose, characterize and define prognosis of DTC. For that purpose, we collected 194 thyroid nodules samples: 68 goiters, 16 follicular adenomas (FA), 75 classic papillary thyroid carcinomas (CPTC), 18 follicular variant of papillary thyroid carcinoma (FVPTC), 5 follicular thyroid carcinoma (FTC), 1 anaplastic thyroid carcinoma and 11 normal thyroid tissues. Was extracted RNA from all the samples. Gene expression analysis was performed by real time PCR and the immunohistochemistry was performed following the standard protocol using ABCAM antibody. The data obtained were correlated to clinical and pathological features and to patient¿s outcomes. We demonstrated that IDs expression was capable of differentiate benign from malignant nodules being associated with absence of tumor aggressiveness features. We found a higher ID3 nuclear protein expression in benign cells compared to malignant cells (5,2 ± 0,9 vs 3,0 ± 1,8 AU, Mann-Whitney, p<0,0001). In contrary, the cytoplasmic expression of this protein was higher in malignant than benign (5,7 ± 1,5 vs 4,0 ± 1,4 AU, Mann-Whitney, p<0,0001). We suggest that IDs expression, mainly ID3, may help in the diagnosis and In the characterization of aggressiveness in malignant thyroid lesions
Subject: Proteínas de ligação a DNA
Neoplasias da glândula tireoide
Sequências hélice-alça-hélice
Editor: [s.n.]
Citation: AMARAL, Laís Helena Pereira. Estudo das proteínas ID1, ID2, ID3 e ID4 no carcinoma diferenciado de tireoide. 2017. 1 recurso online (76 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/331010>. Acesso em: 2 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Amaral_LaisHelenaPereira_M.pdf4.18 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.