Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/310489
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Adenocarcinoma da próstata = estudo de fatores clinicopatológicos preditivos de progressão bioquímica (PSA) pós-prostatectomia radical
Title Alternative: Prostate adenocarcinoma : study predictive clinicopathological factors of biochemical progression (PSA) after radical prostatectomy
Author: Noronha, Marcelo Ramos
Advisor: Meirelles, Luciana Rodrigues de, 1972-
Abstract: Resumo: O adenocarcinoma de próstata é a segunda neoplasia maligna que afeta homens, sendo precedida somente pelo cancer de pele. A prostatectomia radical continua sendo a mais aceita estratégia terapêutica para os casos confinado a próstata. Alguns achados clinicopatológicos em pacientes submetidos a prostatectomia radical são controvertidos como tendo valor preditivo de progressão bioquímica pós-cirurgia. O monitoramento da progressão da moléstia pós-prostatectomia radical é feito através de dosagem do PSA sérico cujo aumento pode significar recidiva local e/ou metástases. O valor de corte do PSA sérico indicando progressão é variável entre os autores. Há uma recomendação recente da Associação Americana de Urologia para que este valor seja ?0,2ng/mL com um segundo valor >0,2ng/mL. Não está estabelecido se pacientes mais jovens ou de raça negra mostram taxa de recidiva bioquímica maior. O PSA pré-operatório é um dado de grande importância preditiva, mas não está estabelecido a validade da estratificação dos valores em 3 categorias: 4-10ng/mL, 10-20ng/mL e >20ng/mL. Margens cirúrgicas comprometidas no espécime cirúrgico estão na categoria I (valor preditivo comprovado). É controvertido se a contagem final de Gleason 3+4=7 é semelhante ou não a 4+3=7 como fator preditivo de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical. O estudo foi retrospectivo e os dados foram coletados dos prontuários médicos de 300 pacientes submetidos consecutivamente à prostatectomia radical no Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas, no período de janeiro de 1997 a maio de 2007. O objetivo principal do trabalho foi avaliar a progressão bioquímica (PSA) pós prostatectomia radical de acordo com: raça, idade, margens cirúrgicas comprometidas, invasão microscópica do colo vesical, contagem final de Gleason, extensão do tumor, estádio patológico e PSA pré-operatório. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente utilizando-se o teste de Mann-Whitney, o produto limite de Kaplan-Meier utilizando-se o teste do log-rank para comparação entre os grupos e o método de Cox para avaliar risco do tempo de progressão bioquímica (PSA) pós-prostatectomia radical. O nível de significância considerado para rejeição da hipótese nula foi p<0,05 bicaudal. Os resultados mais importantes neste trabalho foram: diferença estatisticamente significante quanto ao tempo de progressão bioquímica de pacientes com PSA pré-operatório ?10ng/mL, margens cirúrgicas comprometidas, invasão microscópica do colo vesical, Gleason 4+3=7, tumores mais extensos e tumores não confinados à próstata. Não houve associação da idade e raça com progressão bioquímica. Em análise univariada, os fatores preditivos significantes do tempo e risco de progressão pós-prostatectomia radical foram o PSA pré-operatório, as margens cirúrgicas positivas, a invasão das vesículas seminais, a invasão microscópica do colo vesical e o Gleason 4+3=7. Em análise multivariada, somente PSA pré-operatório, margens positivas e invasão das vesículas seminais mostraram-se fatores preditivos independentes do tempo e risco de progressão bioquímica pós-prostatectomia radical

Abstract: Adenocarcinoma of the prostate is the second malignancy that affects men, being preceded only by skin cancer. Radical prostatectomy remains the most widely accepted treatment strategy for cases confined to the prostate. Some clinical and pathological findings in patients undergoing radical prostatectomy are at issue as having predictive value of biochemical progression after surgery. The monitoring of disease progression after radical prostatectomy is done by measuring concentrations of PSA which can mean increased local recurrence and/or metastases. The cutoff of PSA indicating progression varies among authors. There is a recent recommendation of the American Urological Association that this value is ?0.2ng/mL with a second value >0.2ng/mL. It has not been established whether younger or black patients show higher rate of biochemical recurrence. The preoperative PSA is an important predictive factor for biochemical recurrence, but it has not been established the validity of the stratification of values in three categories: 4-10ng/mL, 10-20ng/mL, and >20ng/mL. Positive surgical margins in the surgical specimen are in category I (proven predictive value). It is controversial whether the final Gleason score 3+4=7 is similar or not to 4+3=7 as a predictor of biochemical progression after radical prostatectomy. The study was based on 300 whole-mount consecutive radical prostatectomies. The aim of this study was to analyse the risk and time for biochemical progression after surgery, according to race, age, positive surgical margins, bladder neck invasion, Gleason score, tumor extension, pathological stage and serum PSA preoperative levels. Time to biochemical progression-free outcome was compared using the Kaplan-Meier product-limit analysis using the log-rank to compare the groups. To assess individual variables for risk and time to biochemical progression, we created a univariate Cox proportional hazards model, and to assess the influence of several variables simultaneously, we developed a final multivariate Cox proportional hazards model of the statistically significant covariates. The most important results were: There was a significant association to time of progression of patients with preoperative PSA ?10ng/mL, positive surgical margins, microscopic invasion of the bladder neck, Gleason 4+3=7, more extensive tumors and non confined tumors. No association of race and age to biochemical progression following radical prostatectomy. On univariate analysis, the significant predictive variables for risk and time to biochemical progression were: preoperative PSA, positive surgical margins, seminal vesicle invasion, microscopic invasion of the bladder neck, and Gleason 4+3=7. On multivariate analysis, only positive surgical margins and seminal vesicle invasion were independent predictive variables
Subject: Prostata
Adenocarcinoma
Prostatectomia
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: NORONHA, Marcelo Ramos. Adenocarcinoma da próstata = estudo de fatores clinicopatológicos preditivos de progressão bioquímica (PSA) pós-prostatectomia radical. 2010. 163 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/310489>. Acesso em: 17 ago. 2018.
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Noronha_MarceloRamos_M.pdf4.14 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.