Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/356932
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Mulheres agricultoras, agricultura familiar e agrotóxicos : sobre um cotidiano silenciado = Agricultural women, family agriculture and pesticides : about a silent daily everyday
Title Alternative: Agricultural women, family agriculture and pesticides : about a silent daily everyday
Author: Carvalho, Amália Oliveira, 1982-
Advisor: Alonzo, Herling Gregorio Aguilar, 1961-
Abstract: Resumo: A natureza e extensão das desigualdades e diferenças na saúde dos grupos populacionais em diferentes áreas geográficas dentro de uma mesma amostra, mesma região ou país apresentam vieses importantes dependentes dos níveis de agregação geográfica. Sobre a ótica do gênero no meio rural, a desvalorização das múltiplas tarefas femininas nas estatísticas oficiais ¿ considerado "trabalho invisível" ¿ é reflexo da cultura machista que abrange a sociedade e suas principais instituições, incluindo a família. O objetivo desta pesquisa é analisar as relações da mulher lavradora com o cotidiano da agricultura familiar, num cenário de exposição a agrotóxicos. Trata-se de um estudo descritivo exploratório, de natureza qualitativa. Foram consideradas agricultoras oriundas da agricultura familiar, e com idade mínima de 18 anos. Na coleta de dados foi utilizado questionário semiestruturado, organizado em cinco blocos: dados pessoais, trabalho agrícola, o uso de agrotóxicos, morbidades referidas e dados socioeconômicos. Foram realizadas 14 entrevistas, em seis diferentes bairros. A análise do material aconteceu segundo as fases de análise do conteúdo, segundo Bardin, a saber: organização da análise, codificação, categorização, tratamento dos resultados, inferência e a interpretação dos resultados. Foi possível inferir que no ritmo de desdobramento da trabalhadora rural/do lar é que se constitui a mulher do campo, exercendo seu acúmulo de funções, de maneira acrítica e silenciada. De outro modo, desprovida de conhecimento técnico sobre riscos que os agrotóxicos podem causar através de contato direto ou indireto, desenvolve habilidades que a faz identificar a ocorrência de sintomas de intoxicação. A insatisfação com seus meios de produção é evidenciada quando renomeiam agrotóxicos como sinônimo de veneno. Rompem com o regime da autorização discursiva, construindo-se enquanto Sujeito Absoluto, provido de sonhos e vontades. Autodefinem-se primeiramente como lavradoras, apesar das múltiplas jornadas impostas pelo agropatriarcado. E cuidam-se, sozinhas, alheias às práticas tradicionais de cuidados em saúde que desconsideram as diferenças de gênero e cultura deste meio silenciado. São Miguel Arcanjo, palco desta pesquisa, não diferiu do contexto de realidade das lavradoras que ocupam os territórios rurais no mundo. Retratou o cotidiano de vida dessas mulheres, e possibilitou a produção de hipóteses e incômodos acerca desse cenário. Por fim, a partir da análise e reflexão do material obtido nesta pesquisa, no âmbito global, o trabalho amplo e fundamentado no combate a privação de direitos dessas mulheres de modo que impacte no fim da miséria econômica, intelectual e sanitária, deve ser pauta das discussões de cúpula. Em espaço local, viabilizar encontros permanentes de mulheres, como construção de Grupos Sujeitos, seria o primeiro passo para a emancipação desses corpos femininos subalternizados, considerando a triangulação "gênero/campesinato/cuidados em saúde". Nesta perspectiva, é possível explorar e potencializar a competências identificadas nestas mulheres, como a "autoestima coletiva", e a "resiliência comunitária", utilizando da potencialidade de atuação da Estratégia Saúde da Família, enquanto pilar de fortalecimento do Capital Social nestes grupos populacionais, no contexto de cuidados ampliados em saúde, vínculo comunitário, competência cultural, intersetorialidade e participação social

Abstract: The nature and extent of inequalities and differences in the health of population groups in different geographic areas within the same sample, same region or country, present important biases depending on the levels of geographical aggregation. Regarding the gender perspective in rural areas, the devaluation of multiple female tasks in official statistics - considered "invisible work" - is a reflection of the sexist culture that encompasses society and its main institutions, including the family. The objective of this research is to analyze the relationship between the woman farmer and the family farming routine, in a scenario of exposure to pesticides. It is a descriptive exploratory study, of qualitative nature. They were considered to be farmers from family farming, and at least 18 years old. In the data collection, a semi-structured questionnaire was used, organized in five blocks: personal data, agricultural work, the use of pesticides, referred morbidities and socioeconomic data. 14 interviews were carried out in six different neighborhoods. The material analysis took place according to the content analysis phases, according to Bardin, namely: organization of the analysis, coding, categorization, treatment of results, inference and interpretation of results. It was possible to infer that it is in the pace of development of the rural worker / home that the rural woman is constituted, exercising her accumulation of functions, in an uncritical and silent way. Otherwise, lacking technical knowledge about the risks that pesticides can cause through direct or indirect contact, it develops skills that make it possible to identify the occurrence of intoxication symptoms. Dissatisfaction with their means of production is evident when they rename pesticides as a synonym for poison. They break with the regime of discursive authorization, building themselves as an Absolute Subject, provided with dreams and desires. They define themselves primarily as farmers, despite the multiple journeys imposed by the agropatriarchy. And they take care of themselves, unaware of traditional health care practices that disregard the gender and culture differences of this silenced environment. São Miguel Arcanjo, the stage of this research, did not differ from the reality of the farmers who occupy rural territories in the world. It portrayed the daily lives of these women, and enabled the production of hypotheses and discomfort about this scenario. Finally, based on the analysis and reflection of the material obtained in this research, at the global level, the broad work based on combating the deprivation of rights of these women in a way that impacts on the end of economic, intellectual and sanitary misery, should be the agenda of the summit discussions. In a local space, making permanent meetings of women possible, such as the construction of Subject Groups, would be the first step towards the emancipation of these subordinate female bodies, considering the triangulation "gender / peasantry / health care". In this perspective, it is possible to explore and enhance the skills identified in these women, such as "collective self-esteem", and "community resilience", using the potential of the Family Health Strategy to act, as a pillar for strengthening Social Capital in these population groups, in the context of expanded health care, community bonding, cultural competence, intersectorality and social participation
Subject: Saúde da população rural
Produtos químicos agrícolas
Saúde ambiental
Agricultura sustentável
Divisão do trabalho por sexo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CARVALHO, Amália Oliveira. Mulheres agricultoras, agricultura familiar e agrotóxicos: sobre um cotidiano silenciado = Agricultural women, family agriculture and pesticides : about a silent daily everyday . 2020. 1 recurso online ( 122 p.) Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carvalho_AmaliaOliveira_M.pdf2.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.