Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/344039
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Ingestão de fibras alimentares por adolescentes : inquérito de consumo alimentar ISACamp-Nutri
Title Alternative: Intake of dietary fiber by adolescents : food consumption survery ISACamp-Nutri
Author: Meira, Rafaela de Campos Felippe, 1987-
Advisor: Assumpção, Daniela de, 1982-
Abstract: Resumo: O padrão alimentar dos adolescentes é caracterizado pelo consumo insuficiente de alimentos saudáveis como frutas, hortaliças e cereais integrais, e pela elevada ingestão de produtos alimentícios ricos em gorduras, carboidratos simples e açúcares. Práticas alimentares inadequadas aumentam o risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, e as fibras alimentares atuam como coadjuvante na prevenção destas doenças. O consumo de fibras entre os adolescentes está abaixo das recomendações, não apenas no Brasil como em outros países do mundo. Objetivos: Avaliar a ingestão fibras alimentares e das frações solúvel e insolúvel em adolescentes do município de Campinas, São Paulo, segundo variáveis sociodemográficas, de comportamentos relacionados à saúde, autoavaliação da qualidade da dieta e Índice de Massa Corporal; identificar os alimentos fontes de fibras alimentares de acordo com o grau de processamento dos alimentos. Métodos: Estudo transversal de base populacional, com dados do Inquérito de Saúde de Campinas (ISACamp 2014-2015) e do Inquérito de Consumo Alimentar e Estado Nutricional (ISACamp-Nutri 2015-2016). Foram avaliados os dados de 891 adolescentes. A ingestão de fibra alimentar foi estimada do Recordatório de 24 horas. Para análise estatística foram desenvolvidos modelos lineares generalizados gama. Resultados: O consumo médio de fibras alimentares (g/1.000 kcal/dia) foi estimado em 6,4 para fibras totais, 4,9 para insolúveis e 1,5 para as fibras solúveis. Verificou-se maior ingestão de fibra alimentar total e solúvel nas meninas, e de fibra solúvel entre os adolescentes de melhor nível socioeconômico. Os segmentos que ingeriam frutas, hortaliças cruas e cozidas, feijão (< 5vezes na semana), refrigerantes e embutidos (> 2 vezes na semana) apresentaram menores ingestões de fibra alimentar total e das frações solúvel e insolúvel. Os adolescentes que não realizavam o café da manhã diariamente, que não costumavam verificar os rótulos dos alimentos e que autoavaliaram a qualidade da dieta como ruim/muito ruim tiveram médias inferiores de fibras alimentares. Os alimentos in natura/minimamente processados forneceram 68,0% do total de fibras alimentares, os processados 7,2% e os ultraprocessados contribuíram com 24,8%. Destaca-se que 37,9% do teor de fibras solúveis e 21,0% das fibras insolúveis eram provenientes de produtos ultraprocessados, o que sinaliza uma situação preocupante. No grupo dos ultraprocessados, os biscoitos, os pães de pacote e o achocolatado foram os principais contribuintes para o teor de fibras alimentares. Conclusão: Os adolescentes apresentam uma ingestão de fibras aquém das recomendações da Organização Mundial da Saúde (> 12,5 g/1.000 kcal/dia) e do Institute of Medicine (14 g/1.000 kcal/dia). Variáveis sociodemográficas como sexo, escolaridade do chefe da família e a renda familiar mostraram-se associadas à ingestão de fibras alimentares e suas frações. Destaca-se que o consumo de alimentos fontes (frutas, hortaliças, cereais e tubérculos) precisa ser incentivado. Os ultraprocessados contribuíram para o conteúdo de fibras da dieta, condição que não é adequada devido aos danos que esses produtos acarretam para a saúde. São necessárias ações de promoção do consumo de alimentos in natura ou minimamente processados, além de medidas regulatórias, a exemplo da taxação dos produtos ultraprocessados e de subsídios aos alimentos saudáveis

Abstract: The adolescents¿ dietary patterns is characterized by insufficient consumption of health foods such as fruits, vegetables and whole grain and a high intake of food rich in fats, carbohydrates and sugar. Improper eating habits increase the chances of chronic non-communicable diseases and dietary fibers are involved in these diseases¿ prevention. The adolescents¿ dietary fiber intake is below the recommendations not only in Brazil but in other countries as well. Objective: Dietary fiber consumption evaluation and its fractions, according to demographic, socioeconomic and health behaviors in adolescents living in Campinas, São Paulo, including diet quality self-assessment and Body Mass Index; identify the dietary fiber food source based on the level of food-processing. Methods: A population-based cross-sectional study with a probabilistic sample of adolescents from the city of Campinas, with data from the Inquérito de Saúde de Campinas (ISACamp 2014-2015) and the Inquérito de Consumo Alimentar e Estado Nutricional (ISACamp-Nutri 2015-2016). 891 adolescents participate on the study. The 24-hour dietary recall was used to estimate fiber consumption. Linear regression methods were used in the statistical analysis. Results: The average dietary fiber intake (g/1.000 kcal) was estimated in 6,4 for total fibers, 4,9 to insoluble and 1,5 to soluble fibers. A higher dietary total and soluble fiber intake was observed between the female adolescents and a higher dietary soluble fiber intake where a higher income per capita was presented. The pattern of eating fruit, vegetables (raw or steamed) and kidney beans (less than five times a week), drinking soda and eating deli meat (more than twice a week) result in a reduce dietary fiber intake and its fractions. Adolescent that have the habit of skipping their breakfast daily and are not used check food labels shown lower dietary fiber intake average. In natura foods represent the largest contribution of total fibers intake of 68,0%, processed food 7,2% and the ultra-processed food 24,8%. An alarming situation was found due to the ultra-processed food being responsible for 37.9% soluble dietary fiber intake and 21,0% of the insoluble dietary fiber intake. Among the ultra-processed food, cookies, industrialized bread and chocolate powder were mainly sources of dietary fiber. Conclusions: The adolescent dietary fiber intake is below the recommendations of the World Health Organization (> 12,5 g/1.000 kcal/day) and the Institute of Medicine (14 g/1.000 kcal/day). Sociodemographic variables as gender, per capita income, head of household education are related to dietary fiber sources intake. The intake of in natura sources of dietary fiber, such as fruits, vegetables, root vegetables and whole grain needs to be promoted. The ultra-processed food was found as the main source of dietary soluble fiber and this is not appropriate situation due to its human health adversely effects. Actions to promote the intake of in natura and minimally processed food are needed together with regulatory measures, such as, tax increase in ultra-processed food and subsidies to healthier food
Subject: Adolescentes
Alimentos - Consumo
Fibras na nutrição humana
Inquéritos epidemiológicos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: MEIRA, Rafaela de Campos Felippe. Ingestão de fibras alimentares por adolescentes : inquérito de consumo alimentar ISACamp-Nutri. 2019. 1 recurso online ( 76 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Meira_RafaelaDeCamposFelippe_M.pdf1.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.