Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/340506
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Detecção do gene "mcr"-1 em enterobactérias resistentes à colistina isoladas de amostras clínicas provenientes do complexo hospitalar da UNICAMP
Title Alternative: Detection of the "mcr"-1 gene in colistin-resistant enterobacteria isolated from clinical samples from the UNICAMP hospital complex
Author: Oliveira, Flávio Andrade, 1988-
Advisor: Levy, Carlos Emilio, 1949-
Abstract: Resumo: A resistência antimicrobiana tornou-se um dos principais problemas de saúde pública, causando uma crise global. As polimixinas estão sendo consideradas antibióticos de última linha para o tratamento de bactérias Gram-negativas multirresistentes. Resistência em polimixinas foi relatada como resultado de mutações cromossomais durante décadas. Em 2015 uma importante publicação descreveu a resistência plasmidial às polimixinas mediada pelo gene mcr-1. Poucos meses após essa descoberta, o gene foi relatado em diversos países causando grande preocupação. O presente estudo teve como objetivo avaliar a ocorrência de enterobactérias resistentes à colistina e a presença do gene mcr em isolados obtidos a partir de amostras clínicas de pacientes atendidos no Complexo Hospitalar da UNICAMP. Foram avaliados 103 isolados provenientes de diversas amostras biológicas. Enterobactérias resistentes à colistina foram selecionadas a partir do resultado obtido pelo teste automatizado de sensibilidade aos antimicrobianos. A identificação dos microrganismos foi realizada por espectrometria de massas (MALDI-TOF/MS). A resistência à colistina foi confirmada por microdiluição em caldo. Foi realizado uma reação de PCR multiplex capaz de detectar os genes mcr-1, mcr-2, mcr-3, mcr-4 e mcr-5. Sete dos 103 isolados foram positivos para mcr-1. A presença do gene mcr-1 foi confirmada utilizando a técnica de qPCR e pelo sequenciamento do genoma total bacteriano, que também detectou outros genes de resistência e virulência. Todos os isolados apresentaram no mínimo resistência a duas classes de antibióticos, sendo três deles produtores de ESBL. Identificamos a presença de uma linhagem pandêmica de E. coli (O15:H1-D-ST393), descrita pela primeira vez na América do Sul. O gene mcr-1 estava presente nos plasmídeos do grupo IncX4 e HI2. Os isolados de E. coli pertenciam ao ST393, ST3024, ST354, ST224 e ST624. Dos 7 isolados, 6 foram recuperados de infecções do trato urinário e um de infecção da corrente sanguínea, sendo que cinco pacientes tinham imunidade comprometida. A pesquisa e a detecção de mecanismos de resistência emergentes são essenciais para o combater e controlar microrganismos multirresistentes. A presença do gene mcr-1 em nossa instituição destaca a importância de uma vigilância nesse contexto, principalmente em pacientes imunocomprometidos

Abstract: Antimicrobial resistance has become a major public health problem, causing a global crisis. Polymyxin has been considered a last-resort antibiotic for the treatment of multidrug-resistant Gram-negative bacteria. Polymyxin resistance has been reported as a result of chromosomal mutations for decades. In 2015 a major publication described plasmidial resistance to polymyxins mediated by the mcr-1 gene. A few months after this discovery the gene was reported in several countries causing great concern. This study aimed to evaluate the occurrence of enterobacteria resistant to colistin and the presence of the mcr gene in isolates obtained from clinical samples of patients treated at UNICAMP Hospital Complex. We evaluated 103 isolates from several biological samples. Enterobacterales resistant to colistin was selected from the result obtained by the automated antimicrobial sensitivity test. The identification of microorganisms was performed by mass spectrometry (MALDI-TOF/MS). Resistance to colistin was confirmed by broth microdilution. A multiplex PCR capable of detecting the genes mcr-1, mcr-2, mcr-3, mcr-4, and mcr-5 was performed. Seven out of 103 isolates were positive for mcr-1. Whole genome sequencing analysis confirmed the presence of the mcr-1 gene and other resistance and virulence genes. All isolates showed at least resistance to two classes of antibiotics, three of which produced ESBL. We identified the presence of a pandemic strain of E. coli (O15:H1-D-ST393), described for the first time in South America. The mcr-1 gene was present in the plasmids of IncX4 and HI2. The E. coli isolates belonged to ST393, ST3024, ST354, ST224, ST624 and a novel ST. Of the 7 isolates, 6 were recovered from urinary tract infections and one from bloodstream infection. Five isolates were recovered from patients with compromised immunity. Surveillance and detection of emerging resistance mechanisms are essential to combat multi-resistant microorganisms. The presence of the mcr-1 gene in our institution highlights the importance of surveillance in this context, especially in immunocompromised patients
Subject: Colistina
Escherichia coli
Farmacorresistência bacteriana
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: OLIVEIRA, Flávio Andrade. Detecção do gene "mcr"-1 em enterobactérias resistentes à colistina isoladas de amostras clínicas provenientes do complexo hospitalar da UNICAMP. 2020. 1 recurso online (75 p.) Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Oliveira_FlavioAndrade_M.pdf4.55 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.