Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334925
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: O futuro de São Paulo na década de 1950
Title Alternative: The future of São Paulo in the 1950s
Author: Zorek, Bruno de Macedo, 1981-
Advisor: Rubino, Silvana, 1959-
Abstract: Resumo: O principal objetivo desta tese é discutir a produção do futuro de São Paulo, com foco nas transformações dos destinos da cidade ocorridas na década de 1950. Durante a primeira metade do século XX, a imagem dominante do seu futuro era a de uma metrópole gigantesca, funcionando de maneira harmoniosa e marcada pela ordem e pelo progresso. Na segunda metade, em contraste, a representação hegemônica, embora também imaginasse uma metrópole gigantesca, apostava em um futuro de caos e paralisia, provocados pelo excesso de problemas urbanos. Portanto, um destino que se previa glorioso passou a ser visto como trágico. Foi nos anos 1950 que se deu a passagem de uma imagem a outra. Contudo, ao longo dessa década, ambos esses destinos coexistiram sem se anularem, produzindo um futuro esgarçado para São Paulo. Naquele momento, a metrópole estava predestinada a ser o paraíso e o inferno ao mesmo tempo. Para discutir tanto a passagem de um futuro ao outro quanto o próprio futuro esgarçado, esta tese analisa não só as diferentes representações dos destinos de São Paulo, como também as condições sociais de produção dessas imagens. Nesse sentido, investiga-se a caracterização, a emergência e a rotinização dos destinos mais poderosos da cidade e, ao mesmo tempo, alguns personagens históricos que encarnaram de maneira especialmente privilegiada cada um desses futuros. Três desses personagens receberam o papel de protagonistas na tese: Francisco Prestes Maia, Luiz de Anhaia Mello e Florestan Fernandes. Prestes Maia era, na década de 1950, um importante gestor público, ex-prefeito de São Paulo e um urbanista de renome. Imaginava um futuro de glória e progresso para a metrópole, representando o discurso que foi hegemônico até aquele momento. Anhaia Mello também era um gestor público experiente e um urbanista reconhecido, mas se colocava como o principal opositor de Prestes Maia. Anhaia Mello previa um futuro apocalíptico para uma São Paulo que continuasse crescendo, mas oferecia também um destino alternativo para a metrópole ¿ que se veria transformada em uma confederação de pequenas cidades-jardim. Fernandes, por sua vez, começou os anos 1950 como um aspirante no mundo intelectual e terminou a década como o mais importante sociólogo brasileiro. O líder da "Escola Paulista de Sociologia" encarnou tanto a transformação das expectativas de futuro quanto o próprio esgarçamento. O sociólogo, que era otimista em relação aos destinos de São Paulo, foi mudando de opinião conforme as ideias de Anhaia Mello se tornavam mais conhecidas, o campo intelectual paulistano se tornava mais autônomo e ele próprio assumia uma posição de destaque nesse campo. No final da década, Fernandes olhava com pessimismo para o futuro da cidade, embora sustentasse uma pequena esperança baseada na educação. Ao longo da tese, conta-se a história das transformações no futuro de São Paulo com base nas ideias e nas atuações desses protagonistas. Mas, além deles, a tese também analisa um conjunto de coadjuvantes e personagens secundários, bem como da imprensa paulistana, que tiveram papel decisivo na desconstrução do destino épico da metrópole e na construção da cidade de futuro trágico

Abstract: The main objective of this thesis is to discuss the production of the future of São Paulo, with focus on the transformations of the city's destinies occurred in the 1950s. During the first half of the twentieth century, the dominant image of its future was that of a gigantic metropolis, functioning in a harmonious way and marked by order and progress. In the second half, in contrast, the hegemonic representation, although it also imagined a gigantic metropolis, bet on a future of chaos and paralysis, provoked by the excess of urban problems. Therefore, a destiny that was predicted glorious came to be seen as tragic. It was in the 1950s that the passage from one image to another occurred. However, throughout this decade, both these destinies coexisted without nullifying one another, producing a frayed future for São Paulo. At that moment, the metropolis was predestined to be both heaven and hell. In order to discuss both the passage from one future to the other and the frayed future, this thesis analyzes not only the different representations of the destinies of São Paulo, but also the social conditions of production of these images. In this sense, are investigated the characterization, emergence and routinization of the most powerful destinies of the city and, at the same time, some historical personages who especially incarnated each one of these futures. Three of these personages were given the role of protagonists in the thesis: Francisco Prestes Maia, Luiz de Anhaia Mello and Florestan Fernandes. Prestes Maia was, in the 1950s, an important public manager, former mayor of São Paulo and a renowned town planner. He imagined a future of glory and progress for the metropolis, representing the discourse that was hegemonic until that moment. Anhaia Mello was also an experienced public manager and a well-known city planner, but he posed as the main opponent of Prestes Maia. Anhaia Mello foresaw an apocalyptic future for a São Paulo that continued to grow, but also offered an alternative destiny for the metropolis ¿ which would be transformed into a confederation of small garden cities. Fernandes, in turn, began the 1950s as an aspirant in the intellectual world and ended the decade as the most important Brazilian sociologist. The leader of the "Paulist School of Sociology" embodied both the transformation of the expectations of the future as well as the change itself. The sociologist, who was optimistic about the destiny of São Paulo, changed his mind as Anhaia Mello's ideas became better known, the São Paulo intellectual field became more autonomous and he himself assumed a leading position in this field. At the end of the decade, Fernandes looked with pessimism towards the future of the city, although he held a small hope based on education. Throughout the thesis, the story of the transformations in the future of São Paulo is told based on the ideas and actions of these protagonists. But in addition to them, the thesis also analyzes a set of supporting and secondary personages, as well as the São Paulo press, who played a decisive role in deconstructing the epic destiny of the metropolis and in building the city of a tragic future
Subject: Representações sociais
Tempo - História
Capitais (Cidades) - São Paulo (SP) - História
Intelectuais - Brasil - História - Séc. XX
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ZOREK, Bruno de Macedo. O futuro de São Paulo na década de 1950. 2019. 1 recurso online (208 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Date Issue: 2019
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Zorek_BrunoDeMacedo_D.pdf2.83 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.