Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/334227
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Descompasso temporal : crítica e contexto social na obra modernista de William Faulkner
Title Alternative: Temporal mismatch : criticism and social context in the modernist work of William Faulkner
Author: Lopes, Lucas da Silva, 1989-
Advisor: Durão, Fábio Akcelrud, 1969-
Abstract: Resumo: A hipótese deste trabalho é que a forma literária é oriunda de uma relação complexa e produtiva com o contexto social a partir do qual ela se origina; e que a crítica literária, sobretudo em seu processo de acumulação, o qual pressupõe uma disputa intensa, enseja a incorporação de camadas de sentido até então não percebidas à obra literária. O argumento central é que a obra de William Faulkner apresenta uma tensão temporal interna, oriunda do arranjo formal, que em última instância é expressão de uma angústia vivenciada socialmente através da impossibilidade de reabilitar o passado e da hesitação em relação ao presente/futuro. O nosso estudo se concentra, portanto, na investigação das técnicas e soluções narrativas propostas por William Faulkner em suas obras modernistas mais desafiadoras de modo a perscrutar os meios pelos quais as soluções literárias alcançadas pelo autor respondem às questões mais prementes do contexto social, nesse caso a especificidade social do Sul dos Estados Unidos. As principais obras em discussão são O som e a fúria (1929), Enquanto agonizo (1930), Luz em agosto (1932) e Absalão, Absalão! (1936). O propósito é revelar as tensões internas entre os desenvolvimentos estéticos e os conteúdos sociais de modo que as contradições da forma literária e da sociedade despontem como criticamente produtivas. Para tal, faz-se necessário incursionar pela obra, através de leituras cerradas, sem perder a atenção para as questões sociais mais importantes de seu contexto, a saber, a Guerra Civil norte-americana (1861-1865), a Reconstrução (1865-1875), o período pós-Reconstrução marcado pela ascensão das políticas Jim Crow, a queda da bolsa de valores de Nova York em 1929 e a Grande Depressão na década de 1930. Aliado a esse procedimento ¿ e tão importante quanto - busca-se uma interpretação histórica da crítica devotada a Faulkner, pois, tem-se em consideração que a história da leitura de determinada obra contribui internamente para a conformação de seus sentidos. O que se defende, nesse sentido, é que a crítica concorre, no envelhecimento dos romances, para a adesão de novos sentidos que passam a ser internalizados pela obra

Abstract: The hypothesis of this research is that the literary form comes from a complex and productive relationship with the social context from which it originates; and that literary criticism, especially in its process of accumulation, which presupposes an intense dispute, leads to the incorporation of layers of meaning hitherto not perceived in the literary work. The central argument is that the work of William Faulkner presents an internal temporal tension, coming from the formal arrangement, which is ultimately an expression of a fundamental anguish experienced socially through the impossibility of rehabilitating the past and the hesitation in relation to the present/future. Our study, therefore, focuses on the investigation of the techniques and narrative solutions proposed by William Faulkner in his most challenging modernist works in order to examine the means by which the literary solutions reached by the author answer the most pressing questions of the social context, in this case the social specificity of the Southern United States. The main works under discussion are The Sound and the Fury (1929), As I Lay Dying (1930), Light in August (1932) and Absalom, Absalom! (1936). The purpose is to reveal the internal tensions between aesthetic developments and social contents so that the contradictions of the literary form and society emerge as critically productive. In order to do so, it is necessary to penetrate the work through closed readings without losing sight of the most important social issues of its context, namely, the American Civil War (1861-1865), Reconstruction (1865-1875), the post-Reconstruction period marked by the rising of Jim Crow policies, the Stock Market Crash of 1929, and the Great Depression in the 1930s. Allied to this procedure ¿ and as important as it is - is a historical interpretation of the criticism devoted to Faulkner. We consider that the history of the reading of a certain work contributes internally to the conformation of its meaning. What is defended, in this sense, is that the criticism competes, in the aging of the novels, for the adhesion of new senses that come to be internalized by the literary work
Subject: Faulkner, William, 1897-1962
Ficção americana - História e crítica
Modernismo (Literatura)
Capitalismo e literatura
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: LOPES, Lucas da Silva. Descompasso temporal: crítica e contexto social na obra modernista de William Faulkner. 2018. 1 recurso online (173 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:IEL - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Lopes_LucasDaSilva_M.pdf2.06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.