Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333495
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Construção de um processo social participativo de promoção da saúde para a superação do modelo do agronegócio   : a experiência camponesa a partir da salutogênese e da agroecologia em Lavras - MG = Construction of a health promotion participatory social process for the overcoming of agribusiness model: the peasant experience from salutogenesis and agroecology in Lavras - MG  
Title Alternative: Construction of a health promotion participatory social process for the overcoming of agribusiness model   : the peasant experience from salutogenesis and agroecology in Lavras - MG  
Author: Abreu, Pedro Henrique Barbosa, 1984-
Advisor: Alonzo, Herling Gregorio Aguilar, 1961-
Abstract: Resumo: O modo de vida e economia camponesa se caracteriza pela inseparabilidade da propriedade da terra e do trabalho na terra e pela autorregulação da exploração do trabalho dos membros da família na busca do equilíbrio entre o esforço despendido nas atividades agrícolas e a satisfação das necessidades familiares. Isto confere a este ator social coexistência e resistência ao processo histórico de estruturação e consolidação do capitalismo colonial como padrão de poder mundial. No entanto, como resposta a esta "inaceitável" simultaneidade e contra-hegemonia, os operadores e beneficiários centrais deste sistema de dominação lançaram mão da Revolução Verde como modo de readequação dos elementos da colonialidade do poder capitalista para o campo. Este modus operandi do capitalismo agrário trouxe profundos impactos sanitários aos camponeses brasileiros, seja pela introjeção de tecnologias tóxicas, seja pela subalternização e desconfiguração de seu modo de vida e economia. Esta leitura histórica crítica e o conhecimento prévio da realidade e das persistentes características camponesas nas comunidades rurais de Lavras ¿ MG indicaram a necessidade e as possibilidades de desenvolvimento de uma metodologia de Promoção da Saúde que permitisse tanto a autoidentificação e a disponibilização dos recursos camponeses nas propriedades familiares e comunidades rurais quanto a construção autônoma, a partir destes recursos, das bases locais para a futura autodeterminação de seu contexto e de sua saúde. O objetivo deste estudo foi, portanto, implementar e analisar uma estratégia de Promoção da Saúde fundamentada em marcos teórico-práticos horizontais, participativos, agroecológicos e libertadores do sujeito camponês, como: o paradigma da Salutogênese; a metodologia Camponês a Camponês; a Filosofia da Libertação e a Pesquisa-Ação-Participativa. O percurso metodológico incluiu planejamento e execução em duas fases de trabalho, conformadas por nove atividades de campo. Tais atividades foram organizadas em dois modos operacionais (Encontros de Promoção da Saúde e Momentos de Potencialização das Capacidades de Compreensão, Manejo e Significação), sendo os componentes salutogênicos definidos como categorias de análise para as falas dos camponeses de 17 comunidades rurais de Lavras. Com um total de 155 participantes ao longo das duas fases de trabalho (sendo 110 homens e 45 mulheres), foram codificadas, a partir dos dados brutos transcritos, 205 falas como Capacidade de Compreensão, 187 como Capacidade de Manejo e 72 como Capacidade de Significação. Estas falas foram, em seguida, codificadas em 20 subcategorias que emergiram da leitura flutuante dos conteúdos categorizados. Esta estruturação apoiou a elaboração de uma análise de conteúdo na modalidade temática que permitiu a significação e a inferência de fatores, causas e rumos do desenvolvimento do processo salutogênico-analético construído juntamente com o sujeito camponês. Assim, pôde-se observar uma substancial progressão social desde um entendimento negativo e inacessível de seu próprio contexto para a compreensão das possibilidades, recursos e motivações próprias para a autotransformação contextual; agroecológica; co-construída pelas mulheres; horizontal e crítica em relação a parceiros e/ou instituições públicas; autônoma e organizada de sua realidade sanitária, produtiva e de vida no campo. As conclusões do estudo apontaram a construção inicial de uma estrutura social camponesa autossustentável e o prosseguimento do processo (promotor de saúde) de organização para a transição agroecológica nas comunidades rurais do município, culminando, posterior e consequentemente ao recorte deste estudo, na formação da Associação das Camponesas e Camponeses Agroecológicos de Lavras (ACCAL). Indica-se a aplicabilidade da metodologia apresentada em outras localidades camponesas dominadas pela lógica e prática do agronegócio

Abstract: The peasant¿s way of life and economy is characterized by the inseparability of land ownership and labor on the land and by the self-regulation of the exploitation of the work of family members in the search for the balance between the effort expended on agricultural activities and the satisfaction of family needs. This gives coexistence and resistance to this social actor in the historical process of structuring and consolidating colonial capitalism as a world power standard. However, in response to this "unacceptable" simultaneity and counterhegemony, the central operators and beneficiaries of this domination system have used the Green Revolution as a way of re-fitting the elements of coloniality of capitalist power to the countryside. This modus operandi of agrarian capitalism has brought profound sanitary impacts to the Brazilian peasantry, either by the introjection of toxic technologies, or by the subalternization and desconfiguration of their way of life and economy. This critical historical reading and the previous knowledge of the reality and of the persistent features of peasants in the rural communities of Lavras - MG indicated the necessity and the possibilities of development of a methodology of Health Promotion that allowed both the self-identification and the availability of the peasant resources in the families properties and rural communities as to the autonomous construction, from these resources, of the local bases for the future self-determination of their context and their health. The objective was, therefore, to implement and analyze a strategy of Health Promotion based on horizontal, participatory, agroecological and peasant subject¿s emancipation frameworks, such as: the paradigm of Salutogenesis; the Peasant to Peasant methodology; the Philosophy of Liberation and Participatory Action Research. The methodological course included planning and execution in two work phases, conformed by nine field activities. These activities were organized in two operational modes (Meetings of Health Promotion and Moments of Potentialization of Comprehensibility, Manageability and Meaningfulness), and the salutogenic components were defined as categories of analysis for the speeches of the peasants of 17 rural communities of Lavras. With a total of 155 participants along the two phases of work (110 men and 45 women), were coded, from the raw data transcribed, 205 content segments as Comprehensibility, 187 as Manageability and 72 as Meaningfulness. These content segments were, then, coded into 20 subcategories that emerged from the floating reading of categorized content. This structure supported the elaboration of a content analysis in thematic modality that allowed the signification and inference of factors, causes and directions of the development of the developed salutogenic-analectical process built together with peasants. A substantial social progression could be observed from a negative and inaccessible understanding of its own context to the understanding of the possibilities, and its own resources and motivations to the empowered; agroecological; co-constructed by women; horizontal and critical towards partners and/or public institutions; autonomous; and organized self-transformation of its sanitary, productive and life reality. The conclusions of the study pointed to the initial construction of a self-sustaining peasant social structure and the continuation of the process (health promoter) of the organization for the agroecological transition in the rural communities of the municipality, culminating, later and consequently to the cut of this study, in the foundation of the Associação das Camponesas e Camponeses Agroecológicos de Lavras (ACCAL). The study also indicates the applicability of the methodology presented in other peasant locations dominated by agribusiness logic and practice
Subject: Promoção da saúde
Trabalhadores rurais
Senso de coerência
Ecologia agrícola
Agrotóxicos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: ABREU, Pedro Henrique Barbosa. Construção de um processo social participativo de promoção da saúde para a superação do modelo do agronegócio  : a experiência camponesa a partir da salutogênese e da agroecologia em Lavras - MG = Construction of a health promotion participatory social process for the overcoming of agribusiness model: the peasant experience from salutogenesis and agroecology in Lavras - MG  . 2018. 1 recurso online (413 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP.
Date Issue: 2018
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Abreu_PedroHenriqueBarbosaDe_D.pdf4.85 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.