Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/332997
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Recomendações clínicas para prevenção e tratamento da retenção urinária pós-parto
Title Alternative: Clinical recommendations for preventing and treating postpartum urinary retention
Author: Oliveira, Léa Dolores Reganhan de, 1966-
Advisor: Lopes, Maria Helena Baena de Moraes, 1959-
Abstract: Resumo: Introdução: a retenção urinária pós-parto é considerada uma disfunção miccional comum, que embora não esteja associada à mortalidade, apresenta morbidade significativa. A prevenção e o tratamento oportunos dessa condição continuam sendo um desafio, pois existem poucas evidências para subsidiar a prática clínica, e as propostas terapêuticas vigentes possuem direcionamentos diversificados. Objetivo: elaborar recomendações clínicas para prevenir e tratar a retenção urinária pós-parto. Métodos: a pesquisa foi composta por três etapas: (1) Revisão sistemática da literatura para a identificação dos fatores de risco e das recomendações clínicas para prevenir e tratar a retenção urinária pós-parto; (2) Revisão da literatura cinzenta, que se caracteriza como documentação impressa e eletrônica produzida por sociedades científicas e outros, para a identificação de diretrizes sobre a retenção urinária pós-parto. Elaboração das recomendações clínicas baseadas nas evidências selecionadas e analisadas oriundas das duas revisões da literatura; (3) Estudo descritivo-exploratório, de natureza quantitativa, desen¬volvido por meio da técnica de Delphi para a formação de consenso acerca das recomendações clínicas para prevenir e tratar a retenção urinária pós-parto. Resultados: na revisão sistemática foram identificados diversos fatores de risco relacionados à retenção urinária pós-parto. Dentre os mais frequentes estavam analgesia regional, episiotomia, primiparidade e parto instrumental. Nas propostas de prevenção constavam o monitoramento dos fatores de risco e débito urinário, e avaliação dos sinais e sintomas da disfunção miccional. Dentre as indicações de tratamento, havia pontos comuns como a aplicação de medidas de auxílio para promover a micção espontânea e a drenagem da bexiga, em casos de retenção urinária evidente ou oculta. Entretanto, constatou-se a ocorrência de abordagens diversificadas quanto à padronização do volume residual e do tipo de cateter para tratar a retenção urinária persistente. Por meio da revisão da literatura cinzenta foram identificadas sete diretrizes internacionais, publicadas em língua inglesa. Dessas, quatro eram elegíveis. Desse modo, para fundamentar a elaboração da proposta, composta por 48 recomendações, foram utilizados 23 artigos da primeira revisão e quatro diretrizes da segunda revisão. As 48 recomendações clínicas foram distribuídas entre três domínios: 18 (37,5%) relacionadas à prevenção da retenção urinária pós-parto evidente e oculta; 14 (29,2%) relacionadas ao tratamento da retenção urinária pós-parto evidente e oculta; e 16 (33,3%) para a reeducação da bexiga em caso de retenção urinária pós-parto persistente. Para a formação de consenso foram realizadas três rodadas do painel Delphi. Na última rodada, composta por sete enfermeiros e seis médicos, obteve-se consenso de inclusão para 39 (81,3%) e de exclusão para nove (18,7%) recomendações. Conclusão: foram obtidas 39 recomendações clínicas baseadas em evidência e no consenso de especialistas. O desafio de elaboração de tais recomendações mostrou-se muito complexo. Mesmo havendo consenso quanto à inclusão para a maioria das recomendações, pontua-se que algumas situações clínicas podem não ter sido contempladas, além da possibilidade constante de surgimento de novas evidências sobre o tema. As recomendações deste estudo emergem no sentido de respaldar a prática clínica, com vistas a promover segurança e bem-estar da puérpera

Abstract: Introduction: postpartum urinary retention is considered a common voiding dysfunction, although not associated with mortality, presents significant morbidity. The timely prevention and treatment of this condition remain a challenge, since there is little evidence to support clinical practice, and the current therapeutic proposals have diversified directions. Objective: to develop clinical recommendations for preventing and treating postpartum urinary retention. Methods: The research consisted of three steps: (1) Systematic review of the literature to identify risk factors and clinical recommendations for preventing and treating postpartum urinary retention; (2) Review of the gray literature, characterized as printed and electronic documentation produced by scientific societies and others, for the identification of guidelines on postpartum urinary retention. Elaboration of the clinical recommendations based on the selected and analyzed evidences coming from the two reviews of the literature; (3) Descriptive-exploratory study, quantitative in nature, developed through the Delphi technique to form consensus on clinical recommendations to prevent and treat postpartum urinary retention. Results: in the systematic review, several risk factors related to postpartum urinary retention were identified. Among the most frequent were regional analgesia, episiotomy, primiparity and instrumental delivery. The prevention proposals included the monitoring of risk factors and urinary output, and evaluation of signs and symptoms of voiding dysfunction. Among the indications for treatment, there were common points such as the application of relief measures to promote spontaneous urination and bladder drainage in cases of obvious or hidden urinary retention. However, it has been observed the occurrence of diversified approaches regarding the standardization of residual volume and catheter type to treat persistent urinary retention. Through the review of the gray literature, seven international guidelines were identified, published in English, of which four were eligible. Thus, 23 articles of the first revision and four guidelines of the second revision were used to substantiate the preparation of the proposal, consisting of 48 recommendations. The 48 clinical recommendations were distributed among three domains: 18 (37.5%) related to the prevention of overt and covert postpartum urinary retention, 14 (29.2%) related to the treatment of overt and covert postpartum urinary retention, and 16 (33.3%) related to the re-education of the bladder in case of persistent postpartum urinary retention. For consensus building, three rounds of the Delphi panel were performed. In the last round, composed of seven nurses and six physicians, consensus was reached for inclusion in 39 (81.3%) and exclusion for nine (18.7%) recommendations. Conclusion: based on evidence and the consensus of specialists, 39 clinical recommendations were obtained. The challenge of developing such recommendations proved to be very complex. Although there is consensus regarding inclusion for most of the recommendations, it is pointed out that some clinical situations may not have been contemplated, besides the constant possibility of the discovery of new evidence on the subject. The recommendations of this study emerge aiming to support clinical practice in order to promote the safety and wellbeing of the puerperal woman
Subject: Retenção urinária
Período pós-parto
Transtornos urinários
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: OLIVEIRA, Léa Dolores Reganhan de. Recomendações clínicas para prevenção e tratamento da retenção urinária pós-parto. 2017. 1 recurso online (141 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas, SP.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Oliveira_LeaDoloresReganhanDe_D.pdf1.33 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.