Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/330985
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Entre alegorias da divulgação e da ficção científica : leituras do paradoxo EPR
Title Alternative: Between allegories of scientific popularized and science fiction : reading of EPR's paradox
Author: Hallack, Maira Lavalhegas, 1989-
Advisor: Almeida, Maria José P. M. de (Maria José Pereira Monteiro de), 1944-
Abstract: Resumo: Diversas pesquisas em ensino de Ciências têm discutido a inserção da leitura como prática didática. No âmbito desta discussão, buscamos compreender como o discurso de textos de divulgação e ficção científica pode ser trabalhado no Ensino Médio de Física. Notamos que, embora haja distinção entre os tipos discursivos divulgação e ficção científica, nem sempre é possível diferenciá-los. Entendemos que a ficção científica seja uma narrativa que se apropria do conhecimento científico, enquanto que a divulgação utiliza a narração para explicar ciências. O tema para análise dos livros foi o paradoxo proposto em 1935 por Einstein, Podolsky e Rosen com relação à Física quântica. Consideramos um tema difícil e muito voltado a questões de epistemologia das ciências, porém, por meio dele, é possível retomar parte dos processos de construção do conhecimento da Física clássica e do desenvolvimento da Física quântica. Ele é formulado com base em noções conceituais desenvolvidas pela Física clássica e, por meio delas, é feito um questionamento da maneira como a interpretação da mecânica quântica estava se desenvolvendo. Como outros paradoxos científicos, por meio dele é possível chegar a diferentes leituras sobre a produção do conhecimento da ciência. Esse tipo de paradoxo apresenta um discurso polêmico, no qual a ciência é posta como um modo de conhecimento em construção. Nosso objetivo é buscar analisar como se caracteriza, na área de ensino de Ciências, em especial de Física, o uso de leitura de divulgação e de ficção científica e como alunos de ensino médio produzem sentidos ao lerem estes tipos discursivos. Na primeira parte do estudo, fizemos um levantamento bibliográfico, analisando os diferentes usos da leitura no âmbito educacional. Para a segunda parte, realizamos uma unidade de ensino, voltada à discussão da construção do conhecimento científico, em especial, algumas noções da Física quântica. Após, apresentamos uma discussão de dois livros de Divulgação científica com narrativas ficcionais que discutem a Física. Com base nesses livros elaboramos uma série de atividade, duas atividades a partir da leitura deles e concluiríamos as mesmas com duas atividades, uma com a leitura de Divulgação Científica e uma com uma leitura de um texto científico de Ensino Ciências. Porém das quatro atividades, devido à escassez de tempo, na aplicação das atividades, conseguimos realizar apenas três das mesmas. As aulas foram divididas em quatro momentos: 1. Aula expositiva; 2. Leitura; 3. Debate em sala, 4. Atividade avaliativa escrita. Nossa análise da unidade foi feita com base na atividade escrita avaliativa; utilizamos algumas noções da análise de discurso na vertente francesa iniciada por Michel Pêcheux, apoiando-nos principalmente em textos de Eni Orlandi. Com isso, buscamos compreender os sentidos elaborados pelos estudantes. Observarmos a relevância de trabalhar a leitura de Divulgação Científica e Divulgação Científica com narrativas ficcionais em aulas de Física para proporcionar aos alunos desenvolvimento da sua reflexividade sobre as ciências e sua construção, através de concepções científicas Físicas, o que facilita a formação cidadã dos mesmos. Ressaltamos a importância da mediação do professor entre o aluno e o texto, como elemento facilitador de novos conceitos e formações discursivas

Abstract: Almost of studies in the teaching of the sciences have discussed the usage of literature as a didactic practice. In this discussion, we aim to understand how the discourse of scientific texts and of science fiction texts can be used in physics classes in Middle School. We note that, although there is a discursive difference between scientific texts and science fiction, it is not always possible to differentiate the two. We understand that science fiction is a narrative that appropriates scientific knowledge, while scientific texts use narratives to explain the sciences. The theme for the book analysis was the paradox proposed in 1935 by Einstein, Podolsky, and Rosen in relation to quantum physics. We consider this a difficult topic, one closely linked to questions of the epistemology of the sciences, but through it, it is possible to understand part of the processes of the construction of knowledge of classical physics and of the development of quantum physics. It is formulated based on conceptual notions developed by classical physics and, through these, the way in which the interpretation of quantum mechanics was developing is questioned. Through this paradox, like other scientific paradoxes, it is possible to arrive at different readings on the production of scientific knowledge. This type of paradox presents a polemical discourse in which science is seen as a mode of knowledge that is being constructed. Our objective is to analyze - in the teaching of the sciences, and especially physics - how the use of reading scientific and science fiction texts is characterized and how middle school students produce meanings as they read these types of discourses. In the first part of the study, we did a bibliographical study, analyzing the different uses of literature in the sphere of education. In the second part, we completed a unit of teaching geared towards the discussion of the construction of scientific knowledge, and especially, some notions of quantum physics. Then, we present a discussion of two scientific books with fictional narratives that discuss physics. Based on these books, we designed a series of activities two of which are based on readings of these books, while two others include reading a general scientific text and reading a scientific text for teaching science at school. However, out of the four activities, we were only able to complete three due to time constraints. The classes were divided into four sections: 1. Lecture class; 2. Reading; 3. Discussion; and 4. Analytical writing activity. Our analysis of the teaching unit was based on the analytical writing activity for which we used some concepts of discourse analysis according to the French model initiated by Michel Pêcheux and also using texts by Eni Orlandi. In this way, we sought to understand meanings as elaborated by the students. We observed that reading scientific and science fiction texts with fictional narratives in physics classes helped to develop, in students, reflexivity about the sciences and their construction through scientific conceptions of physics, and facilitates their development as citizens. We highlight the importance of the role of the teacher in mediating between the student and the text as an element that facilitates new concepts and new discursive forms
Subject: Ficção cientifica - Textos
Leitura
Análise do discurso
Paradoxo de Einstein-Podolsky-Rosen
Divulgação científica - Textos
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: HALLACK, Maira Lavalhegas. Entre alegorias da divulgação e da ficção científica: leituras do paradoxo EPR. 2017. 1 recurso online (163 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/330985>. Acesso em: 3 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:FE - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Hallack_MairaLavalhegas_M.pdf1.47 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.