Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/330638
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Conceptus intellectus : a inteligência e o inteligível em Tomás de Aquino
Title Alternative: Conceptus intellectus : intelligence and intelligibility in Thomas Aquinas
Author: Reiser, Bruno Carvalheiro, 1986-
Advisor: Custódio, Márcio Augusto Damin, 1970-
Abstract: Resumo: O conceito de intelecto em Tomás de Aquino apresenta uma virtude derivativa para o conhecimento de si mesmo a partir de outro. Isto significa que para conhecer a si mesmo, a alma deve antes conhcer o outro que não ela mesma. Este percurso compreende os atos de inteligência da coisa exterior ao intelecto e de significação. Mas, como a forma de conhecimento própria ao intelecto é objetivante, o conhecimento de si do intelecto resvala em sua objetivação e o intelecto permanece, para si, fora de si mesmo. A reflexão do intelecto deve procurar, logo, uma via transitiva: como no ato mesmo de conhecimento a alma permanece ciente de si mesma como uma natureza viva e inteligente, todo ato de conhecimento é um ato reflexivo. Do mesmo modo, através da reflexão garante-se a possibilidade de conhecimento do verdadeiro a partir dos primeiros princípios. Como os princípios por si conhecidos para o intelecto não podem demandar um ato ainda anterior de validação, a forma reflexa do intelecto oferece as condições para isso a partir de sua existência mesma. Aqui, porém, a inteligência se confronta com a própria inteligibilidade em sua unidade primitiva que deve permanecer inexpressa. Assim, todo entendimento pressupõe sua própria forma que não é a forma objetivada como se manifesta. O conceito de intelecto que investigamos, então, é a própria inteligibilidade, em que o intelecto vê o que é em seu ser e o manifesta a partir de si mesmo

Abstract: For Thomas Aquinas the concept of intellect presents a derivative virtue as a knowledge of itself from another. It means that, to know herself, the soul must know before the other then herself. This itinerary comprises the acts of intelligence of things exterior to the intellect and of significance. But, as the intellectual knowing form has to bear on an object, the self-knowledge of the intellect stumbles on its objectification and the intellect stands for itself out of itself. Thus the reflection of the intellect must endeavor a transitive way: since the soul remains aware of herself in the understanding act, as a living and undestanding nature, every knowledge act is reflexive. And by intelective reflection, the possibility of knowing the truth from its own principles is granted. As the per se notions of the intellect can't request a prior validation act, the reflexive form of the intellect gives the conditions for it from its own existence. But, the intelligence faces here its own intelligibility in its primary unity, which stays inexpress. Therefore, all understanding pressuposes its own form, which isn't the objectified form through which it shows itself. The concept of intellect we ask, is intelligibility in its own right, where the intellect sees what is in its being and reveals it through itself
Subject: Tomás, de Aquino, Santo, 1225?-1274
Inteligência
Consciência
Reflexão (Filosofia)
Teoria do conhecimento
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: REISER, Bruno Carvalheiro. Conceptus intellectus: a inteligência e o inteligível em Tomás de Aquino. 2017. 1 recurso online (180 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/330638>. Acesso em: 2 set. 2018.
Date Issue: 2017
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Reiser_BrunoCarvalheiro_M.pdf950.69 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.