Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309258
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Estudo da variabilidade circadiana da temperatura corporal e ciclo vigília-sono do estudante trabalhador noturno
Title Alternative: Study of circadian variability of body temperature and sleep-wake cycle student night shift worker
Author: Carmona, Luciane Ruiz, 1976-
Advisor: De Martino, Milva Maria Figueiredo, 1947-
Martino, Milva Maria Figueiredo de
Abstract: Resumo: Introdução: Devido à crescente industrialização da sociedade, torna-se cada vez mais comum o trabalho em turnos, bem como o desenvolvimento do trabalho noturno, porém com pronunciado efeito negativo no sono, desempenho e saúde. Objetivo: Investigar os padrões do ciclo vigília-sono e a ritmicidade circadiana da temperatura corporal periférica, através das medidas tomadas no punho, do estudante de enfermagem do período diurno que trabalha no turno noturno. Método: Estudo longitudinal descritivo, com enfoque quantitativo, em que participaram 27 sujeitos adultos, auxiliares e técnicos de enfermagem que trabalhavam no turno noturno, e que eram alunos do curso de graduação em Enfermagem de uma faculdade particular do interior paulista, no período diurno. Foram utilizados os seguintes instrumentos: Ficha de Identificação, Questionário de Indivíduos Matutinos e Vespertinos (HO), Questionário de Sonolência de Epworth, Diário de Sono, durante 32 dias, divididos em período letivo e férias, e um termistor (Thermochron iButton®) no punho da mão não dominante, para verificação de temperatura do punho a cada 30 minutos. Resultados: Quanto ao ajuste dos dados de temperatura do punho a uma curva cosseno, com um período de 24 horas, foi verificada ritmicidade significante em 35,3% dos sujeitos no período letivo e em 93,7% dos sujeitos no período de férias, além da existência de ritmos diferentes de 24 horas, como de 12 e 16 horas. A média da amplitude rítmica da temperatura do punho foi menor no período letivo quando comparado ao período de férias. Houve diferença estatisticamente significativa no horário em que ocorreu a acrofase, quando comparado o período letivo sem trabalho e com trabalho (p<0,0001), período de férias sem trabalho e férias com trabalho (p<0,0001). Quanto ao tempo de sono, no período de férias, foi maior quando comparado ao letivo, assim como nos dias sem trabalho e nos dias em que não dormiram imediatamente após o trabalho noturno. Verificou-se diferença significativa quando comparado o tempo de sono no período de férias sem trabalho (8:34h) e período letivo sem trabalho (7:24h), com p<0,0001, e ainda nas férias com trabalho (5:11h) e letivo com trabalho (4:19h), com p=0,0496. Quanto à Meia Fase do Sono (MFS), houve diferença estatisticamente significativa entre os períodos letivo e férias com e sem trabalho. Os sujeitos apresentaram escores de sonolência entre 7,2 e 15,9, com média de 11,4, caracterizando prevalência de sonolência diurna excessiva. Conclusão: Verificou-se redução das horas de sono do estudante trabalhador noturno, devido a necessidade de frequentar as aulas no período matutino. Observou-se a presença de ritmos diferentes de 24 horas, especialmente durante o período letivo, e o deslocamento de fase da temperatura do punho, de acordo com a jornada de trabalho/estudo, com oposição de fase nos dias com trabalho quando comparado aos dias sem trabalho noturno. A maior potência espectral foi verificada no ritmo de 24 horas, tanto no período letivo como durante as férias, confirmando a hipótese de que a região do punho apresenta expressão rítmica bem definida e robusta. Os achados reforçam a ideia de que o estudo favorece o estabelecimento de rotina, porém pouco influencia no deslocamento da temperatura corporal, que demonstrou ser fortemente influenciada pelo trabalho noturno. Semelhantemente à acrofase, a meia fase do sono apresentou grande diversidade nos horários de ocorrência, porém com relação de fase mantida entre os ritmos, nos diferentes momentos do estudo

Abstract: Introduction: Due to the increasing industrialization of society, the work in shifts is becoming increasingly common, as well as the development of night work, although with a pronounced negative effect on the workers sleep, performance and health. Objective: to investigate the patterns of sleep-wake cycle and the circadian rhythmicity of peripheral body temperature, through measures taken at the wrist of nursing students who studies during the day and works on the night shift. Methods: longitudinal descriptive study, with a quantitative approach, involving 27 adult subjects, nursing assistants and technicians who worked in the night shift and were students of undergraduate nursing of a private college in São Paulo State, during the daytime. The following instruments were used: Identification Form, Morningness Eveningness Questionnaire of Horne and Östberg, Sleepiness Questionnaire Epworth, Sleep Diary, for 32 days, divided into school term and school vacations, and a thermistor (Thermochron iButton) on the non-dominant hand wrist to check the temperature of the wrist every 30 minutes. Results: The adjustment of the temperature data of the wrist to a cosine curve, within a 24-hour period, a significant rhythmicity was verified in 35.3% of subjects in the school term and 93.7% of subjects in the vacation period, apart from the existence of different rhythms of the 24 hours such as 12 and 16 hours. The average amplitude of the wrist temperature rhythm was lower in the scholl term when compared to the vacation period. There was a statistically significant difference in the time that the acrophase occurred, when comparing the school term on the days-off and on working days (p<0.0001), school vacation on the days-off and working days (p<0.0001). The sleep time during the school vacation was higher when compared to the school term, as well as on the days off and on the days when the subjects didn't sleep immediately after work. There was a significant difference when comparing the sleep time on the vacation period and days off (8:34) and school term and days off (7:24), p<0.0001, and also on vacation on working days (5:11) and school term on working days (4:19), p=0.0496. The Middle Phase of Sleep (MPS) there was a statistically significant difference between the school and vacation periods on working days and days off. The subjects presented EDS scores between 7.2 and 15.9, averaging 11.4, characterizing the prevalence of excessive daytime sleepiness. Conclusion: It was verified an intensification of the 14 reduction of hours of sleep of the night working student, because of the need to attend classes in the morning. The presence of rhythms different than 24 hours, was observed especially during the school term, and the phase transfer of the wrist temperature, according to the period of work/study, with phase opposition on working days when compared to days off. The greatest spectral power was observed in the 24-hour rhythm, either during school term or vacation, confirming the hypothesis that the region of the wrist shows a well-defined and robust rhythmic expression. The findings reinforce the idea that the study favors the establishment of routine, but has little influence in displacing the body temperature, wich proved to be strongly influenced by the night shift work. Similar to the acrophase, the MPS showed great diversity in times of occurrence, but with a phase relation maintained between the rhythms on the different times of study
Subject: Trabalho noturno
Ritmo circadiano
Enfermagem
Sono
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CARMONA, Luciane Ruiz. Estudo da variabilidade circadiana da temperatura corporal e ciclo vigília-sono do estudante trabalhador noturno. 2011. 172 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/309258>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Date Issue: 2011
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Carmona_LucianeRuiz_D.pdf3.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.