Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/309051
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Prevenção de incapacidades em hanseniase, no ambulatorio regional de especialidades de Taubate de 1990 a 1999
Author: Vieira, Carmen Silvia de Campos Almeida, 1959-
Advisor: Silva, Eliete Maria, 1960-
Abstract: Resumo: Trata-se de análise retrospectiva do atendimento no Programa de Controle da Hanseníase, com ênfase na Prevenção de Incapacidades (PI), na década de 90 aprofundando conhecimentos sobre a história da atenção à hanseníase e a organização dos serviços, com base nos indicadores epidemiológicos e operacionais, em algumas ações de Controle do Programa, na caracterização sociodemográfica da população, bem como na avaliação do grau de incapacidades, conforme padronização do Programa de Controle da Hanseníase no diagnóstico e na alta do doente. Desenvolveu-se no Ambulatório Regional de Especialidades de Taubaté (ARE), da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, levantamento e análise de 408 prontuários, fichas epidemiológicas e de PI, correspondendo a 100% dos casos novos inscritos no Programa e em Poliquimioterapia. Utilizaram-se Tabelas e Figuras para descrever o perfil do grupo estudado. Os dados epidemiológicos no ARE Taubaté, na década de 90, demonstraram coeficientes de prevalência de 3,1% por 10.000 habitantes e de detecção de 0,9% por 10.000 habitantes em 1999; portanto, a endemia está presente, com muitos diagnósticos de casos novos. Os dados operacionais mostraram que se consegue avaliar as incapacidades físicas na maioria dos casos novos. A maior ocorrência foi das formas polarizadas: Virchoviana (43,5%), Tuberculóide (25,5%) e Dimorfa (23,3%). Na caracterização da população estudada, conclui-se que a hanseníase ocorreu, com maior freqüência, na faixa etária de 30 a 49 anos (48,2%), no sexo masculino (60%), e em moradores da região baixa do município (48,6%). Quanto à escolaridade, predominou o ensino fundamental incompleto (57,7%). O analfabetismo está mais presente entre as formas avançadas (15,2%) e, à medida que aumenta a escolaridade (nível superior), a forma indeterminada é mais freqüente. Observa-se que as reações hansênicas ocorrem com maior incidência entre as mulheres (63%). A avaliação do grau de incapacidades no diagnóstico apresentou maior percentual na forma Indeterminada, sem incapacidades instalada (63,3%), enquanto nos graus 2 e 3 o percentual maior é na forma Virchoviana (34%). Constata-se que o maior percentual de incapacidades graus 2 e 3 ocorreram nos pés (14,8%), seguido das mãos (13,2%) e olhos (7,6%), o que sinaliza a importância de valorizar e implementar as ações de PI nos membros inferiores e superiores. Quanto à recuperação dos doentes com grau 1 (anestesia) no diagnóstico, (46,3%) recuperaram para grau O e (48,4%) mantiveram-se no grau 1, sem evoluir para incapacidades mais severas (deformidades). Nos doentes com grau 2 e 3 de incapacidades no diagnóstico, verifica-se percentual maior de manutenção nesses graus (62,8% e 40% respectivamente), o que demonstra a dificuldade de recuperar as incapacidades mais avançadas. Quanto ao percentual de piora, para os doentes diagnosticados no grau 1, e no 2, foi baixa, com um percentual de 7,2%. Portanto, não são todos os doentes que conseguiram recuperar-se, o que demonstra a complexidade das Ações da Prevenção de Incapacidades, pois a mesma é fruto de vários fatores, tais como: interação entre o doente e o profissional, incorporação do autocuidado, maior escolarização, efetivação das Ações de Controle da Hanseníase de forma global, com descentralização das ações de PI e avaliação continuada

Abstract: The current study aims at a retrospective analysis of the assistance in the Leprosy Control Program, emphasising the Prevention of Disabilities(DI) in the 90's, searching deeply the knowledge of history with attention to leprosy and organisation of the service, based on the epidemiological and operational indicators, on the actions of the Control Programme, on the socio-demographic characterisation of the population as well as on the evaluation of the degree of disabilities according to the Standardisation of the Leprosy Program, in the diagnosis and discharge of the patient. The research has been carried out in the Outpatient Department of Specialisation of Taubaté (ODS), of the State Health Office of São Paulo State, by means of survey and analysis of 408 handbooks, epidemiological and DI cards, corresponding to 100% new cases enrolled in the Programme and in Polichemiotherapy. Tables and figures have been used to describe the profile ofthe group studied. The epidemiological data in the ODS Taubaté during the 90's, showed coefficients of prevalence of 3,1 per 10,000 inhabitants and of detection of 0,9 per 10,000 inhabitants, therefore, the endemic condition is present, with many diagnoses of new cases. The operational data showed that it is possible to assess the physical disabilities in the majority of the new cases. The biggest incidence was of the polarised forms: Virchoviana (43,5%), Tuberculóide (25,5%) and Dimorfa (23,3%). While characterising the population studied, it has be concluded that leprosy occurred more often in the age group between 30 to 39 years old (48,2%) in males (60%) , belonging the lower region of the town (48,6%). In what concerns schooling, the incomplete secondary level prevailed (57,7%). Illiteracy is mainly present in the advanced forms (15,2%), and as the schooling level improves (college); the indeterminate form is more frequent. Leprosy reactions have been found mainly in women (63%). The assessment of the degree of disability in the diagnosis showed higher percentage in the Indeterminate form with no disability installed (63,3%), whereas in the levels 2 and 3 the higher percentage is in the Virchoviana form (34%). It has been seen that the highest percentage of disabilities of levels 2 and 3 occurred in feet (14,8%), followed by hand (13,2%) and eyes (76%), thus showing the importance of valuing and implementing the actions of DI in lower and higher limbs. Concerning the recovery of patients with level 1 disabilities (anaesthesia) in the diagnosis, (46,3%) recovered to leveI O and (48,4%) stayed in level 1, without developing more severe disabilities (deformities). With regard to patients with levels 1 and 2 in the diagnosis, a higher percentage of maintenance in these levels, (62,8% and 40% respectively) was observed, what shows the difficulty of recovery in the more advanced forms. For patients diagnosed with levels 1 and 2, the percentage of worsening was low (7,2%). Therefore not all patients were able to recover. This shows the complexity of actions in the Prevention of Disabilities, which results from many factors, such as: interaction between patient and professional, incorporation of self-care, patient's higher schooling level, effectiveness of the Actions of overall Leprosy Control, with the decentralisation of the actions of DI, and continuous assessment
Subject: Hanseniase
Serviços de saúde
Hanseniase - Epidemiologia
Enfermagem em saúde pública
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: VIEIRA, Carmen Silvia de Campos Almeida. Prevenção de incapacidades em hanseniase, no ambulatorio regional de especialidades de Taubate de 1990 a 1999. 2001. 256p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/309051>. Acesso em: 2 ago. 2018.
Date Issue: 2001
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vieira_CarmenSilviadeCamposAlmeida_M.pdf38.41 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.