Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/308983
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Significados psicológicos e culturais do comportamento alimentar de adoecidos crônicos por síndrome metabólica = um estudo clínico-qualitativo
Title Alternative: Psychological and cultural meanings of eating behavior in chronic metabolic syndrome patients : a clinical-qualitative study
Author: Vieira, Carla Maria
Advisor: Turato, Egberto Ribeiro, 1954-
Abstract: Resumo: O comportamento alimentar é um tema relevante no tratamento da obesidade, dislipidemias, hipertensão, diabetes tipo II e outros agravos metabólicos crônicos. A associação de pelo menos três destes distúrbios tem sido reconhecida na literatura médica como Síndrome Metabólica, considerada um problema de saúde emergente. O objetivo desse estudo foi conhecer significados psicológicos e culturais do comportamento alimentar vinculados ao processo de adoecimento crônico por Síndrome Metabólica, de pessoas com excesso de peso, em situação de cuidado. Método Clínico Qualitativo foi aplicado em ambulatório de hospital universitário, na região sudeste do Brasil. Entrevistas individuais semidirigidas, conduzidas em profundidade com nove sujeitos portadores de Síndrome Metabólica, compuseram a amostra intencional fechada por critério de saturação. O corpus do trabalho composto pelas expressões verbais e não verbais foi analisado a partir do exercício de repetidas leituras flutuantes. Referencial psicodinâmico de base analítica complementado com contribuições da antropologia da alimentação apoiou a interpretação dos resultados organizados em oito categorias: 1- O corpo gordo estigmatizado: corpo sem saúde e sem beleza; 2- O fetiche da cirurgia para curar a obesidade; 3- O desejo contido: comer muito pode ser pouco para aplacar a fome de ordem emocional; 4- A conquista da autonomia: ressignificar a alimentação para a convivência com os sintomas da Síndrome Metabólica; 5- O estado depressivo e paralisante dos sujeitos com dificuldades para estabelecer o autocuidado; 6- Significados da dieta: a perda do prazer e da liberdade de comer; 7- Conquistas no manejo do tratamento a partir do enfrentamento de situações de vulnerabilidade; 8- Autonomia versus prescrição. Da discussão salientamos a rejeição à obesidade revelada pelos sujeitos que proporciona um desvio do foco no manejo do autocuidado, permeado pela cultura lipofóbica de enaltecimento da magreza e juventude. O desejo dos sujeitos por realizar uma cirurgia que seja capaz de curar o excesso de peso vincula-se ao significado da gordura corporal como doença. São reflexos culturais da medicalização da obesidade que dificultam os sujeitos a aceitarem e assumirem o controle sobre o seu próprio corpo. A dissociação das práticas alimentares como determinantes do ganho excessivo de peso, assim como a utilização dosalimentos para preencher lacunas de ordem psíquica, revelaram fragilidade em lidar com conflitos emocionais e dificuldades para assumir a responsabilidade sobre o processo de cuidado. Os significados de perda de prazer e cerceamento da liberdade de comer atribuídos à dieta, igualmente colaboram negativamente para o manejo do processo de adoecimento. No entanto, o saber culinário, a valorização da identidade da cultura alimentar e a comensalidade em família demonstraram potencialidades na reorganização da alimentação no cotidiano. A baixa adesão às prescrições dietéticas encontra-se associada a um padrão ideal de comportamento alimentar e distingue-se da postura de respeito e apoio para o estabelecimento de autonomia na elaboração de recursos pessoais para enfrentamento do processo de adoecimento crônico ao longo da vida. O caráter interdisciplinar deste trabalho proporcionou a valorização do exercício de escuta dos significados psicológicos e culturais do comportamento alimentar com contribuições no âmbito do cuidado nutricional de portadores de Síndrome Metabólica

Abstract: Eating behaviors are relevant issues in the treatment for obesity, dyslipidemias, hypertension, type II diabetes and other chronic metabolism disorders. Literature has established that an association of three or more of those disorders is referred to as Metabolic Syndrome, which is considered a growing health issue. The objective of the present study was to identify the psychological and cultural meanings of eating behavior linked to the process of developing chronic disease due to Metabolic Syndrome, in people receiving care. The Qualitative Clinical Method was applied at the outpatient clinic of a university hospital in Southeast Brazil. Semi-directed individual interviews were conducted in depth with nine Metabolic Syndrome patients, who comprised the purposive sample determined by saturation. The verbal and non-verbal statements composed the corpus of the study, which was analyzed based on repeated in-depth readings. Results were interpreted based on a psychodynamic framework with an analytical grounding, complemented with contributions from the anthropology of eating, thus permitting to organize the results into the following eight categories: 1- The stigmatized fat body: a body without health and without beauty; 2- The fetish of surgery to cure obesity; 3- The restrained desire: eating much could be little to quench their emotional hunger; 4-The conquest of autonomy: reassign meanings to feeding to manage the symptoms of Metabolic Syndrome; 5- The depressive and paralyzing state of subjects with difficulties to establish self-care; 6- Meanings of the diet: the loss of pleasure and the liberty of eating; 7- Achievements in handling the treatment based on dealing with vulnerability situations; 8-Autonomy versus prescription. A rejection towards obesity was revealed by the subjects, which shifts their focus from managing self-care, as it is permeated by a lipophobic culture that exalts thinness and youth. The subjects' desire to undergo a surgery that would cure their excessive weight is associated to their associating a meaning of disease to body fat. The cultural thoughts of medicalizing obesity account for the difficulty that subjects have to accept and take control over their own body. The dissociation of eating habits as determinants of excessive weight gain and using food to fill in emotional gaps revealed fragility of dealing with emotional conflicts, and difficulties of taking responsibility over the care process. The meanings assigned to loosing pleasure and the loss of liberty to eat, both associated with dieting, have a negative effect on the process of managing the disease. On the other hand, culinary knowledge, valuing the identity of eating culture and commensality in the family demonstrate the potential of reorganizing everyday eating. Poor adherence to diet prescriptions is associated to an ideal eating behavior standard and stands apart from a position of respect and support towards establishing autonomy in developing personal resources to deal with the process of chronic illness through life. The interdisciplinary character of the present study promoted the valorization of the practice of listening to the psychological and cultural meanings of eating behaviors, hence offering contributions regarding the nutritional care of individuals with Metabolic Syndrome
Subject: Comportamento alimentar
Dieta
Doença crônica
Pesquisa qualitativa
Doenças metabólicas
Cultura
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: VIEIRA, Carla Maria. Significados psicológicos e culturais do comportamento alimentar de adoecidos crônicos por síndrome metabólica = um estudo clínico-qualitativo. 2010. 167 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/308983>. Acesso em: 16 ago. 2018.
Date Issue: 2010
Appears in Collections:FCM - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vieira_CarlaMaria_D.pdf1.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.