Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/290562
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Padronização de modelos para avaliar a erosão dentária : diferenciação do potencial erosivo de produtos da dieta, efeito da concentração do ácido e do fluoreto
Title Alternative: Standardization of models to assess tooth erosion : differentiation of the erosive potencial of dietary products, effect of acid and fluoride concentration
Author: Romão, Dayse Andrade, 1983-
Advisor: Tabchoury, Cinthia Pereira Machado, 1969-
Abstract: Resumo: A erosão dental acontece com perda da estrutura dental por ácidos não derivados de bactérias. Este processo de desmineralização pode ser estudado por meio de modelos que simulem o dinamismo do mesmo. Em estudo prévio, um modelo de ciclagens erosivas com duração de 5 dias foi validado quanto à dose-resposta ao pH. Com o objetivo de padronizar este modelo para avaliar o efeito da concentração do ácido cítrico, para diferenciar o potencial erosivo de produtos da dieta e estudar o efeito do fluoreto no mesmo, foram realizados 3 estudos. Blocos de esmalte dental bovino (n=12), selecionados pela dureza de superfície e análise de perfilometria, foram imersos em saliva humana estimulada por 1 h a 37ºC sob agitação antes do primeiro desafio erosivo de cada dia. Em seguida, foram tratados 4 vezes ao dia com suas respectivas soluções erosivas sob agitação por 1 min a temperatura ambiente e, nos intervalos entre os tratamentos e durante à noite, os blocos foram imersos em saliva artificial a 37?C sem agitação. No estudo 1, os blocos foram tratados com as seguintes soluções, todas com pH 3,5: cacodilato (controle); ácido cítrico 0,25%, 0,5%; 1%; 2% e 4%. No estudo 2, os blocos foram submetidos aos seguintes tratamentos: solução de ácido cítrico pH 3,5 (controle); refrigerante citrus (Schweppes®) pH 2,75; néctar de maçã (Maguary®) pH 3,06; néctar laranja (SuFresh®) pH 3,56; néctar pêssego com soja (Ades®) pH 3,91. No estudo 3, os blocos foram tratados 4 vezes ao dia com solução de ácido cítrico 1% pH 3,5 e imersos 2 vezes ao dia (após a exposição à saliva humana e após a 4a exposição diária ao ácido) nas seguintes soluções a 37ºC por 1 min: água purificada (controle negativo) e solução de fluoreto de sódio 50, 150, 450 e 1350 ppm F. Ao final dos desafios erosivos e no início de cada dia, os blocos foram novamente avaliados quanto à dureza de superfície para cálculo da porcentagem de perda de dureza de superfície (%PDS) e ao final do experimento quanto à perfilometria. Os resultados dos estudos 1 e 3 foram submetidos à análise de regressão (p<0,05) e aqueles do estudo 2 à análise de variância e teste de Tukey (p<0,05). No estudo 1 o modelo apresentou efeito dose-resposta entre concentração de ácido cítrico e perda de superfície (p<0,0001; R2=0,7856). No estudo 2, os blocos tratados com refrigerante e néctar de maçã apresentaram os maiores valores de %PDS, não diferindo entre si (p>0,05), e quanto à perfilometria, o tratamento com refrigerante apresentou diferença significativa em relação aos demais (p<0,05). No estudo 3, o modelo não apresentou efeito dose-resposta entre as concentração de fluoreto e %PDS (p<0,0001; R2=0,3093) ou perfilometria (p<0,0124; R2=0,1029). Conclui-se que o modelo apresentou efeito dose-resposta para diferentes concentrações do ácido cítrico quanto à perda de superfície, permitiu estimar o potencial erosivo de algumas bebidas ácidas e mostrou redução na perda mineral após exposição ao fluoreto, porém sem efeito dose-resposta

Abstract: Tooth erosion occurs with the tooth structure loss by acid not derived from bacteria. This demineralization process can be studied by using models that simulate its dynamism. In a previous study, an erosive cycling model, lasting 5 days, was validated by the pH dose-response. In order to standardize this model to evaluate the effect of citric acid concentration, to differentiate the erosive potential of dietary products and to study the effect of fluoride, three studies were conducted. Bovine enamel blocks (n= 12), selected according to the surface hardness and surface profilometry analysis, were immersed in stimulated human saliva for 1 h at 37°C under stirring before the first erosive challenge in each day. Then they were treated 4 times a day with the respective erosive solution under stirring for 1 min at room temperature and, in the intervals between treatments and during the night, the blocks were immersed in artificial saliva at 37?C without stirring. In study 1, the blocks were treated with the following solutions, all at pH 3.5: cacodylate (control); 0.25%; 0.5%; 1%; 2%; 4% citric acid. In study 2, the blocks were treated with the following treatments: citric acid solution pH 3.5 (control); citrus soft drink (Schweppes/Coca-Cola®) pH 2.75; apple nectar (Maguary®) pH 3.06; orange nectar (SuFresh®) pH 3.56; peach nectar with soy (Ades®) pH 3.91. In study 3, the blocks were treated 4 times daily with 1% citric acid solution pH 3.5 and immersed twice a day (after exposure to human saliva and after the fourth daily exposure to citric acid) in solutions at 37?C under stirring for 1 min: purified water (negative control); 50; 150; 450 and 1350 ppm F. Daily, at the end of the cycling and after immersion in artificial saliva during the night, the blocks were evaluated for surface hardness to calculate the percentage of surface hardness loss (%SHL) and profilometry analysis was performed again at the end of the experiment. The results of studies 1 and 3 were submitted to regression analysis (p<0.05) and those of study 2 to ANOVA and Tukey test (p<0.05). In study 1, the model showed a dose-response effect between acid concentration and surface loss (p <0.0001; R2 = 0.7856). In study 2, the blocks treated with soft drink and apple nectar showed the highest %SHL, but did not differ from each other (p>0.05) and, regarding profilometry, the soft drink showed the highest surface loss (p<0.05). In study 3, the model did not show dose-response effect between fluoride concentration and %SHL (p<0.0001; R2 = 0.3093) and profilometry (p<0.0124; R2 = 0.1029). In conclusion, the model showed dose-response effect for different citric acid concentrations by surface loss, estimated the erosive potential for some dietary products and showed a decrease in mineral loss after fluoride exposure, but without dose-response effect
Subject: Dentes - Erosão
Acido citrico
Esmalte dentário
Bebidas
Flúor
Editor: [s.n.]
Citation: ROMÃO, Dayse Andrade. Padronização de modelos para avaliar a erosão dentária: diferenciação do potencial erosivo de produtos da dieta, efeito da concentração do ácido e do fluoreto. 2015. 1 recurso online (68 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/290562>. Acesso em: 28 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:FOP - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Romao_DayseAndrade_D.pdf1.24 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.