Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/287615
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Ciência, meio ambiente e cultura na Belle Époque paulista : o "day after" da lavoura cafeeira
Title Alternative: Science, environment and culture in São Paulo Belle Époque : the "day after" of the coffee plantations
Author: Ferraro, Mario Roberto, 1960-
Advisor: Figueirôa, Silvia Fernanda de Mendonça, 1959-
Abstract: Resumo: O tema desta tese é a região campestre formada artificialmente no Vale do Paraíba devido impacto ambiental causado pela cafeicultura sobre as florestas e sobre os solos, analisada a partir da produção científica da Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo e da Revista Agrícola. O contexto é o da modernização da agricultura no período após a abolição da escravatura. Os campos artificiais eram uma decorrência do tipo de agricultura, chamado de rotina, que se praticava desde o descobrimento, inclusive pela grande lavoura de exportação. Era uma realidade que os fazendeiros articulados em torno da Sociedade Paulista de Agricultura desejavam mudar. No período havia duas instituições científicas, o Instituto Agronômico de Campinas (1887) e a Comissão Geográfica e Geológica (1886) atuando pela modernização da agricultura, entendida como sendo a implantação de princípios científicos no campo (mecanização, adubação, aclimatação de espécies exóticas, etc.). O meio de divulgação do projeto de modernização no campo era a Revista Agrícola, periódico mensal e a principal fonte desta pesquisa. Desde o período colonial o senso comum qualificava as terras de campo como estéreis. Orville Derby, chefe da CGG, demonstrou ser isso um preconceito, pois elas eram improdutivas para o café, mas poderiam ser ocupadas por outras culturas ou pecuária, desde que houvesse mudança de cultura e de métodos. Derby era pessimista quanto ao futuro da Mata Atlântica, achava que em breve não haveria mais terras férteis para a expansão da lavoura cafeeira, então, neste cenário, designou as áreas campestres como "reservas para o futuro". Na perspectiva, de ocupação econômica dessas áreas, CGG começou o estudo delas, o que incluía relevo, hidrografia, vegetação, etc. A hipótese é que os conhecimentos produzidos pela CGG sobre elas extrapolaram os limites da instituição e da prática agrícola e influenciaram a produção cultural da época, sobretudo a literatura. Euclides da Cunha e Monteiro Lobato criaram representações sobre a decadência da lavoura cafeeira e de seu impacto ambiental, a formação dos chamados desertos, valendo-se da produção científica da CGG, pois eram naturalistas, e portanto, cientificistas. O trabalho desenvolvido foi identificar a presença da CGG em seus textos literários as áreas campestres. Fez-se um cotejamento entre a produção científica da CGG e as representações literárias desses autores. Esta pesquisa metodologicamente se utiliza da história da ciência produzida no Brasil a partir dos anos 80 do século XX, que procura resgatar a produção científica do século XIX e articulá-la ao seu contexto histórico; de referenciais da história ambiental, pois trata-se do estudo de uma área degrada e do "paradigma indiciário", de Carlo Ginzburg, devido à escassez de documentos históricos relativos às áreas campestres e pelo fato de se fazer uma abordagem da produção literária como fonte histórica

Abstract: The theme of this thesis is the savanna formed artificially by the environmental impact on forests and on the soil on the Paraiba valley, analyzed from the scientific production of the Geographical and Geological Commission of São Paulo (CGG). The context is the modernization of agriculture in the state of Sao Paulo in the period after the abolition of slavery. The artificial savanna was a result of the type of agriculture practiced since colonial Brazil.. At the time there was the collaboration of two scientific institutions, the Campinas Agronomic Institute (1887) and the Geographic and Geological Commission of São Paulo (1886) working for the modernization of agriculture, understood as the deployment of scientific principles in agricultural production (mechanization, fertilizer , acclimatization of exotic species, etc). The way to promote modernization project in the field was by the "Revista Agrícola", monthly journal and source of this research. Since the colonial period saw the common sense such as the infertile areas covered by savannas. Orville Derby, head of CGG, has shown this to be a bias because they were unproductive for coffee plants, but that could be occupied by other crops or in livestock, since there was change to other types of plants and that used other methods. Derby found that soon there would be more fertile land for the expansion of coffee plantations, then designated the areas with savannas as "reserves for the future." In the perspective of economic occupation of these areas, the CGG began their study, which included topography, vegetation, climate, etc.. The hypothesis of this thesis is that scientific work produced by CGG about these areas exceeded the limits of the institution and of the agricultural practices and influenced the cultural production of the season, especially the literature. Euclides da Cunha and Monteiro Lobato produced literary representations on about the decadence of plantations coffee and the environmental impact that caused the formation of so-called deserts, drawing on the scientific production of CGG, they were naturalists and thus scientificist. The work was to identify the presence of CGG in their literary texts about the Valley of Paraíba. He was then an examination between the scientific production of CGG and the literary representations of these authors about the degraded areas. This research, methodologically, it uses the history of science produced in Brazil from the 80s of the twentieth century, which tries to rescue the scientific nineteenth century and be binding produced in Brazil from the 80s of the twentieth century, which tries to rescue the scientific production of the nineteenth century and link it to its historical context, the referential of environmental history, it will bring is the study of a degraded area of "Evidential paradigm" by Carlo Ginzburg, due to lack of historical documents relating to artificial savannas of São Paulo and the fact of making an approach to literary production as a historical source
Subject: Cunha, Euclides da, 1866-1909
Lobato, Monteiro, 1882-1948
Comissão Geografica e Geologica
Ciência - História
Meio ambiente - História
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: FERRARO, Mario Roberto. Ciência, meio ambiente e cultura na Belle Époque paulista: o "day after" da lavoura cafeeira. 2012. 318 p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/287615>. Acesso em: 21 ago. 2018.
Date Issue: 2012
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Ferraro_MarioRoberto_D.pdf3.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.