Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/287213
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: O ensino de mapeamento geologico no Centro de Geologia Eschwege, Diamantina - MG : analise de tres decadas de praticas de campo (1970-2000)
Title Alternative: Teaching of geological mapping at Centro de Geologia Eschwege, Diamantina - MG
Author: Fantinel, Lucia Maria
Advisor: Cunha, Carlos Alberto Lobão da Silveira, 1947-
Abstract: Resumo: O Centro de Geologia Eschwege (CGE), criado em 1969, em Diamantina-MG, desenvolve atividades de pesquisa sobre a geologia da Serra do Espinhaço meridional (SEm) e atividades de ensino voltadas para mapeamento geológico, especialmente, estágio de campo ministrado desde 1970 para estudantes de graduação em Geologia das universidades brasileiras. Esta tese visa descrever e analisar o ensino de mapeamento geológico praticado no CGE, discutir os fatores intelectuais, sociais e econômicos que contribuíram para o surgimento e legitimação desse ensino e identificar a influência dos modelos sobre a geologia da SEm, principalmente no que diz respeito ao campo disciplinar da Sedimentologia-Estratigrafia. A descrição e a problematização teórica desse ensino praticado nos últimos trinta e cinco anos pretendem contribuir para o entendimento do papel do campo no âmbito da pesquisa e do ensino de geologia. A pesquisa pautou-se pela análise qualitativa, com inquirição empírica de fontes documentais. O estudo de caso foi utilizado como estratégia para gerar insights exploratórios e para orientar a escolha e a organização dos dados, que, por vezes, foram submetidos à análise segundo uma perspectiva histórica. Descrições de campo, relatórios e mapas elaborados por estudantes, relatórios de pesquisa e demais trabalhos técnico-científicos, além de documentos normativos e administrativos constituíram as principais fontes documentais. A análise da narrativa textual e imagética dos relatórios buscou evidenciar os objetivos alcançados; a relação estabelecida com os modelos científicos; os conceitos, procedimentos e representações utilizados na caracterização das unidades geológicas; as habilidades técnicas e intelectuais mobilizadas no levantamento e interpretação dos dados e, por fim, os elementos constitutivos da linguagem visual e sua articulação com os modelos explicativos. Foram analisados 184 relatórios envolvendo um total de 623 estudantes de dezenove cursos de Geologia em estágios de duas semanas nos anos de 1970, 1980, 1990 e 2000. A análise evidencia vínculos do ensino de campo com as características metodológicas da prática científica e profissional do geólogo. A atividade é fortemente estruturada na observação, na seleção de feições significativas para a escala adotada, na descrição e interpretação das feições e na representação dos dados. Os estágios combinam a função didática de treinamento, que enfoca habilidades afetas ao mapeamento geológico, com a função investigativa, que envolve identificação de problemas e definição de estratégias para resolvê-los. A transposição didática promove a transformação dos aportes conceituais e metodológicos derivados da atividade científica em conteúdos de ensino, que são difundidos e incorporados à formação de muitas gerações de geólogos brasileiros. Criado pela convergência dos interesses de seu idealizador com a necessidade dos cursos de Geologia de complementar a formação de campo, o CGE tem se legitimado como instituição mediadora entre a produção do conhecimento científico sobre a geologia da SEm e o ensino de geologia de campo

Abstract: The Centro de Geologia Eschwege (CGE), created in Diamantina-MG in 1969, researches the geology of the southern Serra do Espinhaço (SEm) and supports educational activities related to geological mapping. In special, since 1970, it has offered field training to geology undergraduate students of Brazilian universities. The thesis describes this teaching practice and aims to identify the influence exerted by geological models of SEm on teaching, particularly concerning the field of Sedimentology-Stratigraphy. The description and the theoretical problematization of this teaching in the last 30 years aim to contribute to the understanding of the role of field practice in geology research and education. This research was based on qualitative with empirical analysis of documental sources. Case study was used as a strategy to generate exploratory insights and to guide data selection and organization. Field description, reports and maps drawn by students, research reports, technical scientific works and normative and administrative documents were the main documental sources. The analysis of the textual and pictorial narrative of the reports aimed to evidence: the objectives attained by teaching; the relation established by field teaching and scientific models; the concepts, procedures and representations used in the characterization of the geological units; the technical and intellectual abilities used in data survey and analysis; the constitutive elements of the visual language and its articulation with the narrative and the explaining models. A total of 184 reports concerning 623 students from 19 geology courses under a two-week field practice in the years of 1970, 1980, 1990, and 2000 were analyzed. The analysis evidences relations between field teaching and the methodological characteristics of the scientific and professional practice of the geologist. The activity is strongly based on the observation and selection of significant features in the scale adopted, the description and interpretation of the features, and on data representation. Field practice combines the didactic training function, fostering abilities related to geologic mapping, and the investigative function, which involves the identification and the definition of strategies to solve problems. The didactic transposition promotes the transformation of the conceptual and methodological contents derived from the scientific practice into teaching. These contents have been divulged and incorporated into the formation of many generations of Brazilian geologists. Created due to the convergence of interests of its idealizer and the needs of the geology courses to offer field formation, CGE has rightfully become a mediating institution between the production of scientific knowledge on the geology of SEm and geology field teaching
Subject: Centro de Geologia Eschwege
Geociências - Estudo e ensino
Geociencias - Trabalhos de campo
Geologia - Trabalhos de campo
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: FANTINEL, Lucia Maria. O ensino de mapeamento geologico no Centro de Geologia Eschwege, Diamantina - MG: analise de tres decadas de praticas de campo (1970-2000). 2005. 258p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociencias, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/287213>. Acesso em: 5 ago. 2018.
Date Issue: 2005
Appears in Collections:IG - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Fantinel_LuciaMaria_D.pdf5.49 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.