Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/283896
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: Avaliação da dispneia : validação da versão brasileira do Modified Dyspnea Index em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica
Title Alternative: Dyspnea evaluation : validation of the brazilian version of the Modified Dyspnea Index among outpatients with chronic obstructive pulmonary disease
Author: Miura, Cinthya Tamie Passos, 1983-
Advisor: Gallani, Maria Cecilia Bueno Jayme, 1966-
Abstract: Resumo: Este estudo teve como objetivo evidenciar a aplicabilidade clínica da versão brasileira do Modified Dyspnea Index (MDI), junto a pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), a partir da análise de sua validade convergente. Foi verificada a validade convergente do instrumento por meio da correlação com dados da função pulmonar, da capacidade física submáxima, qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) e outra medida de dispneia. Métodos: A coleta de dados foi realizada no período de agosto de 2012 a outubro de 2013, de forma individual, em ambiente privativo, em uma única etapa, por meio de consulta ao prontuário e entrevista individualizada, com aplicação do MDI a seguir dos demais questionários, em sequência aleatória. Posteriormente os pacientes foram submetidos à avaliação da força muscular respiratória, da capacidade funcional e da função pulmonar. A função pulmonar foi analisada por meio da espirometria e da força muscular respiratória. Os seguintes dados foram obtidos a partir da espirometria: volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF1); capacidade vital forçada (CVF) e relação VEF1/CVF. Todos os dados da espirometria foram expressos como valores obtidos e porcentagem do predito. A força muscular respiratória foi avaliada por meio da manovacuometria, sendo mensuradas as pressões inspiratória e expiratória máximas (PI máx e PE máx). A capacidade física submáxima foi avaliada objetivamente por meio do teste de caminhada de 6 minutos (TC6M) e pelo autorrelato, com emprego do instrumento Veterans Specific Activity Questionnaire (VSAQ). A QVRS foi avaliada por meio de uma medida genérica - Medical Outcomes Study Short Form-36 (SF-36), e outra específica para doença pulmonar - versão modificada do Questionário do Hospital Saint George na Doença Respiratória- SGRQm. A Escala Modificada de Borg foi utilizada como outra medida de dispneia. Análise de Dados: Os dados foram submetidos inicialmente à análise descritiva. O teste de correlação parcial, com controle das variáveis: sexo, idade e IMC, foi utilizado para verificar a correlação da versão brasileira do MDI com os valores obtidos na avaliação da função pulmonar, da capacidade física submáxima, da qualidade de vida e da outra medida de dispneia. A análise de outliers uni e multivariados descartou a presença de valores extremos das variáveis de interesse. A correção de Bonferrroni foi adotada com finalidade de evitar os erros do tipo I. Resultados: Correlações positivas, de magnitude modesta a moderada, foram observadas entre o MDI e a capacidade respiratória: VEF1 (r = 0,25, p<0,01) e PI máx (r = 0,36, p<0,01). Correlações positivas, de moderada a forte magnitude, foram observadas com a capacidade física: TC6M ¿ distância (r = 0,34, p<0,01); e VSAQ (r =0,63, p<0,01). Correlação negativa foi observada com a Escala modificada de Borg (dispneia) (r=-0,46, p<0,01). Além disso, fortes correlações positivas foram observadas entre a pontuação total do MDI e medidas de QVRS, especificamente com os domínios de avaliação da capacidade física: SF-36 (r = 0,72, p<0,01) e o SGRQm (r = 0,63, p<0,01). Conclusão: Nossos dados demonstraram evidências de validade convergente da versão brasileira do MDI entre os pacientes com DPOC no Brasil. As correlações observadas apontam para sua utilidade na prática clínica, como avaliação mais abrangente da dispneia

Abstract: This study was aimed at evidencing the clinical applicability of the Brazilian version of the Modified Dyspnea Index (MDI), among Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) outpatients by the analyses of its correlations with data regarding pulmonary function; submaximal physical capacity, generic as well as specific measures of health-related quality of life (HRQoL) and another measure of dyspnea. Methods: In this cross-sectional study, data collection was gathred from August 2012 to October 2013, individually, in a private room. Patient records were reviewed and individual interviews were conducted with application of the MDI and then of the other questionnaires, in a random order. Subsequently, patients underwent the assessment of respiratory muscle strength, functional capacity and pulmonary function. Pulmonary function was assessed by spirometry obtaining the following data: forced expiratory volume in one second (FEV1), forced vital capacity (FVC) and FEV1/FVC. All data were expressed as absolute (obtained) values and percentage of predicted. Respiratory muscle strength was assessed through the measures of maximal inspiratory and expiratory pressures (PIM and PEM). The submaximal physical capacity was objectively evaluated by the 6-minute walk test (6MWT) and by the self-reported measure, the Veterans Specific Activity Questionnaire (VSAQ). HRQoL was assessed by a generic measure ¿ the Medical Outcomes Study Short Form-36 (SF-36), and another specific for lung diseases ¿ the Modified Saint George's Respiratory Questionnaire- SGRQm. The Modified Borg Scale was used as another measure of dyspnea. Data Analysis: Data were initially submitted to the descriptive analysis. The partial correlation, adjusted by age, gender and BMI, was used to verify the correlation of the Brazilian version of the MDI with data concerning pulmonary function, submaximal exercise capacity, quality of life and other as dyspnea. Outlier¿s analysis (single or multivariate) discarded the presence of extreme values of the interest variables. The Bonferrroni correction was adopted to control type I errors. Results: Modest to moderate positive correlations were observed between the MDI and respiratory capacity (%): VEF1 (r = .25, p<.01); PIM (r = .36, p<.01). Moderate to strong positive correlations were observed with functional capacity: 6MWT-distance (%) r = .34, p<.01); VSAQ (r = .63, p<.01) and negative correlations with Borg scale (dyspnea) (r = -.46, p<.01). Moreover, strong positive correlations were found between total score of the MDI and HRQoL measures, specifically with the domains concerned to physical capacity: SF-36 (r =.72, p<.01) and SGRQm (r =.63, p<.01). Conclusion: Our data demonstrated evidence of convergent validity of the MDI among Brazilian COPD outpatients. The correlations observed point to the usefulness of the MDI in the clinical practice, as more comprehensive assessment of dyspnea
Subject: Dispneia
Doença pulmonar obstrutiva cronica
Questionários
Validade dos testes
Language: Multilíngua
Editor: [s.n.]
Citation: MIURA, Cinthya Tamie Passos. Avaliação da dispneia: validação da versão brasileira do Modified Dyspnea Index em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. 2014. 191 . Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Enfermagem, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/283896>. Acesso em: 26 ago. 2018.
Date Issue: 2014
Appears in Collections:FENF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Miura_CinthyaTamiePassos_D.pdf2.01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.