Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/281328
Type: TESE DIGITAL
Degree Level: Doutorado
Title: Pelo direito ao caminhar não estranhado
Title Alternative: For the no estrangement walking right
Author: Patrão, Ana Luiza Moraes, 1979-
Advisor: Rodrigues, Arlete Moysés, 1943-
Abstract: Resumo: Os processos de neoliberalismo e globalização contribuem fortemente para a privatização de espaços públicos, por meio de uma urbanização cada vez mais responsável por transpor barreiras espaço-temporais e valorizar o ciclo do capital. As ruas, que materializam e simbolizam historicamente a diversidade e o dissenso, vêm sendo radicalmente esvaziadas da presença/interação mais constante das diferentes classes sociais, comprometendo, assim, as múltiplas dimensões da sociabilidade humana. No capitalismo, os trabalhadores circulam, sobretudo, como mercadoria, da casa para o trabalho, do trabalho para a casa, e/ou para adquirirem mercadorias, dentre elas, as relacionadas ao lazer. Soma-se a tudo isso a crescente produção de uma ideologia do medo das ruas, dos espaços públicos coletivos, que contribui ainda mais para que as pessoas não ocupem e permaneçam nos mais variados pontos da cidade. Analisar o processo pelo qual a forma e o conteúdo das cidades transformam o caminhar, práxis humana por excelência, em atividade estranhada, tornando-se, inclusive, mercadoria no capitalismo contemporâneo é o objetivo principal desta Tese. Em decorrência desse processo, também será analisado, dentro de uma perspectiva do direito à cidade, como a problemática do caminhar, como atividade fundamental que contribui para se "criar uma vitalidade urbana alternativa que [seja] menos alienada, mais significativa e divertida", como salienta Harvey (2014a, p. 11), é compreendida politicamente e transformada em ponto de reivindicação dos movimentos sociais urbanos contemporâneos. Investigar os avanços e os limites de tais ações políticas que lutam pelo direito a se caminhar nas cidades, muitas vezes ancoradas no discurso do desenvolvimento sustentável e da cidade para pessoas, dentre outros, também se constitui objetivo central a ser desenvolvido. A análise crítica a essas mobilizações se dará a partir de uma concepção marxiana das condições necessárias para a efetivação da omnilateralidade humana

Abstract: The processes of neoliberalism and globalization strongly contribute to public space privatization, by means of an urbanization that is increasingly responsible to overcome space-time barriers and valorize the capital cycle. The streets, which historically materialize and symbolize diversity and dissent, have been radically emptied of the constant presence/interaction of different social classes, compromising, therefore, the multiple dimensions of human sociability. Under capitalism, workers circulate mainly as commodities, from home towards work, from work towards home, or they circulate to acquire goods, among them those related to leisure. Added to all this, the growing production of an ideology of fear of the streets and collective public spaces, which contributes even more so they do not occupy and remain in various parts of the city. The main objective of this thesis is to analyze the processes by which the form and content of the cities transform the act of walking (considered as an eminently human praxis) as an estranged activity, even becoming a commodity under contemporary capitalism. As a result of this process, it will also be analyzed, within a perspective of the right to the city, how the problematic of walking, understood as a fundamental human activity that contributes to "create an alternative urban way of life which is less alienated, more significant and amusing" (HARVEY, 2014a, p. 11), is politically comprehended and transformed into a point of claim for contemporary social movements. A central objective to this research is also to investigate the advances and limits of political actions that struggle for the right to walk in cities. The critical analysis of these mobilizations will occur from a Marxian conception of the conditions necessary for the realization of human omnilaterality
Subject: Sociologia urbana
Capitalismo
Espaços públicos
Caminhada
Alienação (Filosofia)
Editor: [s.n.]
Citation: PATRÃO, Ana Luiza Moraes. Pelo direito ao caminhar não estranhado. 2015. 1 recurso online ( 306 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/281328>. Acesso em: 29 ago. 2018.
Date Issue: 2015
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Patrao_AnaLuizaMoraes_D.pdf5.12 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.