Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/280500
Type: TESE
Degree Level: Doutorado
Title: As serpentes e o bastão : tecnociencia, neoliberalismo e inexorabilidade
Title Alternative: The serpents and the wand : technoscience, neoliberalism and inexorability
Author: Castelfranchi, Juri, 1969-
Advisor: Santos, Laymert Garcia dos, 1948-
Abstract: Resumo: Neste trabalho são analisadas as práticas e o discurso da tecnociência contemporânea, definida não apenas como fusão entre ciência e tecnologia mas como acontecimento que funciona no interior de uma específica economia de poder e que é caracterizado pela interação e a retroalimentação mútua do capitalismo, da ciência e da tecnologia. São mapeados movimentos e rupturas no funcionamento da tecnociência, examinando a fonte dos financiamentos para a pesquisa, o ethos dos cientistas, as fomlas de apropriação do conhecimento e as políticas de C&T à luz dos conceitos foucaultianos de govemamentalidade e dispositivo. O discurso tecnocientífico atual é analisado a partir do monitoramento de documentos oficiais e declarações públicas de cientistas-empreendedores, policy-makers, ONGs etc. O cruzamento de tais elementos mostra que ciências, técnicas e capitalismo funcionam entrelaçados. Em alguns casos, impulsionando-se mutuamente: cada parte se apoia nos sucessos, na autoridade, nos efeitos de verdade e na potência das outras. Noutros casos, há dissonâncias e atritos. Os resultados da pesquisa indicam que a tecnociência atual é, ao mesmo tempo, piramidal e reticular, inexorável e modulável. De um lado, retrata si mesma como fundamentada num saber a-político, neutral, objetivo, universal, que "cai" na sociedade quando aplicado, divulgado, transformado em objeto técnico e em mercadoria. A tecnociência aparece como o bonde que não podemos perder, cuja marcha é automática e cuja regulação deve ser deixada com os especialistas. Por outro lado, no neoliberalismo a tecnociência precisa receber inúmerosfeedbacks, escutar as demandas do mercado e as preocupações do cidadão. Conclui se que a tecnociência atual é um dispositivo qe geometria variável modulado por parâmetros que nem sempre podem ser estabelecidos' nG, il1terior de uma tecnocracia. Funciona ativando mecanismos de despolitização e de inv.isibilização dos conflitos; e constitui-se como implacável politicamente através de repetidas performances voltadas para a mobilização da população e a afirmação de inevitabilidade. No entanto, sua configuração atual é um acontecimento apoiado em terrenos (epistêmicos, econômicos e sociais) movediços

Abstract: ln this work practices and discourse of contemporary technoscience are analyzed. Technoscience is defined not only as the merging between science and technology, but as an event, functioning inside a certain economy of power and characterized by the interaction and reciprocal feedback of capitalism, science and technology. Movements and ruptures in technoscience are mapped by means of the examination of the sources of funding for research, the ethos of scientists, the forms of appropriation of knowledge and S&T policies, using concepts by Michel Foucault, such as govemmentality and apparatus (dispositif). The contemporary technoscientific discourse is analyzed by monitoring official documents and public declarations by entrepreneurs-scientists, policy-makers, NGOs, etc. By crossing such elements, it is shown that sciences, techniques and capitalism function today inside an entanglement. ln some cases, they boost each other: every part is supported by the successes, the authority, the truth effects of the other ones. In other cases, dissonance and friction exist. The results of this research show that contemporary technoscience is, at the same time, pyramidal and reticular; it may seem inexorable, but it may also be modulated. Technoscience depicts itself as grounded on an a-political, neutral, objective, universal knowledge, "falling" down into society when applied, popularized and transformed in a technical object or a product. Its progress is told to be semi-automatic, and its regulation should be left with the experts. On the other side, in neoliberalism, technoscience needs also to receive feedback, to listen to the demands of the market and to the worries of the citizens. It can be concluded that contemporary technoscience is a dispositlf of.variable geometry, modulates by parameters that cannot be always established by a technocracy. It functions by acting mechanisms of depolitization and invisibilization of conflict; it constitutes itself as politically implacable by means of continuous performances of inevitability and mobilization of population. However, its configuration is an event grounded on shifting epistemic, economic and social lands
Subject: Foucault, Michel, 1926-1984
Sociologia
Ciência - Aspectos sociais
Ciência - Aspectos políticos
Ciência e tecnologia
Capitalismo
Análise do discurso
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CASTELFRANCHI, Juri. As serpentes e o bastão: tecnociencia, neoliberalismo e inexorabilidade. 2008. 373p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280500>. Acesso em: 11 ago. 2018.
Date Issue: 2008
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Castelfranchi_Juri_D.pdf9.38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.