Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/275196
Type: DISSERTAÇÃO
Degree Level: Mestrado
Title: Variabilidade da frequencia cardiaca em trabalhadores em turnos
Title Alternative: Heart rate variability in shift workers
Author: Costa, Priscila Standke da
Advisor: Golfetti, Roseli, 1954-
Abstract: Resumo: O trabalho em turnos atinge de 15 a 20% da força de trabalho em países industrializados e tem sido associado com o aumento da incidência de doenças cardiovasculares. Ainda não está claro, mas a dessincronização dos ritmos circadianos do sistema nervoso autônomo cardíaco poderia explicar este fenômeno. Uma ferramenta não¿invasiva para avaliar a atividade do sistema nervoso autônomo (SNA) é análise dos componentes temporais e espectrais da variabilidade da freqüência cardíaca (VFC), calculados a partir de um registro eletrocardiográfico de 24 horas. O objetivo deste trabalho foi analisar estes componentes em 32 enfermeiras saudáveis de um hospital universitário, engajadas em turnos fixos de trabalho (idade média de 35,62 ± 6,17 anos). As voluntárias foram divididas em três grupos de acordo com o horário de trabalho: matutino (7 às 13 h), vespertino (13 ás 19h) e noturno (19 ás 7 h) e submetidas a avaliação clínica, fisioterápica e funcional cardiorespiratória. Foram levantados dados relativos ao tempo de exposição, aos hábitos pessoais (atividade física e etilismo), histórico de doenças dos progenitores e antecedentes menstruais. Além disso, foi realizado um exame clínico com aferição dos sinais vitais de repouso (freqüências cardíaca e respiratória e a pressão arterial) e com coleta de amostras de sangue para caracterização de perfil lipídico. Na avaliação fisioterápica foram mensuradas as variáveis antropométricas de peso, estatura, índice de massa corpórea (IMC), índice cintura-quadril (ICQ) e percentual de gordura corporal. A avaliação funcional cardiorespiratória constou de teste ergométrico máximo e eletrocardiografia dinâmica de 24 horas sendo que grupos de turnos diurnos (matutino e vespertino) foram monitorizados apenas num dia de trabalho e o grupo noturno em um dia de trabalho e em um dia de descanso. Nos resultados da análise da VFC e comparando os três grupos, o comportamento dos componentes simpático e vagal foi fisiológico, sem diferença estatística significativa. Porém, as voluntárias de turno noturno apresentaram maiores valores de idade, tempo de exposição, maiores valores de peso, IMC, ICQ e percentual de gordura corporal, fatores que podem interferir nos resultados obtidos tanto no teste ergométrico, quanto na eletrocardiografia dinâmica de 24 horas. Ainda assim, observou-se que os dados do grupo noturno, comparando-se dia de trabalho e de descanso, sugerem uma alteração no controle autonômico cardíaco

Abstract: In industrialized countries approximately 15 to 20% of the workforce is engaged on shift work and this is associated with an increased rate of cardiovascular diseases. It is still not clear but the alterations in circadian rhythms of the cardiac autonomic nervous system could explain this phenomenon. A non-invasive tool to evaluate autonomic nervous system activity is the emporal and spectral analysis of heart rate variability (HRV) calculated through a 24-hour electrocardiography monitoring. The objective of this study was to analyze the heart rate variations of 32 healthy nurses (ages ranging from 35, 62 ± 6, 17) engaged on fixed shift work for a university hospital. The volunteers were divided in three groups according to their working hours: morning (from 7 a.m. to 1 p.m), evening (from 1 p.m to 7 p.m.) and night (from 7 p.m. to 7 a.m.), and also submitted to clinical, physiotherapic and functional cardiorespiratory evaluations. Data relating to exposure time, personal habits (physical activity and etilism), istory of parental illnesses and monthly cycles were obtained. Additionally, a clinical examination was performed including analysis of vital signs at rest (heart and breath rate and blood pressure) and lipid profile blood tests. During the physical evaluation, anthropometric variations were measured such as weight, height, body mass index (BMI), waistto- hip ratio (WHR) and fat mass percentage. The functional cardiorespiratory evaluation included maximum ergometric and 24-h electrocardiography tests which were applied to the groups as follows: day shift-workers (morning and noon) were monitored over a period of one working day whereas the nigh shift-workers were monitored over the full working day plus the whole off-work day. Our HRV results showed physiological behaviour of sympathetic and vagal components with no significant statistical differences. However, night-shift volunteers presented older age, longer exposure time, higher weight, BMI, WHR and fat mass percentage, factors which could interfere with the HRV and ergometric test results. Therefore, we observed that the results obtained for night shift-workers, comparing work and off-work days, suggest that there are alterations in cardiac autonomic control
Subject: Batimento cardiaco
Doenças cardiovasculares
Trabalhos em turno
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: COSTA, Priscila Standke da. Variabilidade da frequencia cardiaca em trabalhadores em turnos. 2006. 124p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação Fisica, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/275196>. Acesso em: 9 ago. 2018.
Date Issue: 2006
Appears in Collections:FEF - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Costa_PriscilaStandkeda_M.pdf923.4 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.